IBM com menos funcionários. Foto; divulgação.

A IBM registrou em 2013, pela primeira vez em dez anos, uma queda no número de seus funcionários ao redor do mundo, uma redução de 0,7%, fechando o ano com 431.212 profissionais.

No entanto, a companhia, que está em processo de reestruturação e investimentos em novas áreas, deve prosseguir com o enxugamento de suas operações durante 2014.

No ano passado, a companhia gastou cerca de US$ 1 bilhão para reestruturar sua estratégia de negócios, investindo em novas áreas como a de inteligência de negócios usando o supercomputador Watson, mas se livrou de outras, como a de servidores, vendida para a Lenovo.

Segundo informa o TI Inside, o corte tem o objetivo de reduzir custos e recuperar o rumo da empresa para alcançar metas. Uma delas é a distribuição de dividendos no valor de US$ 20 por ação em 2015, acima dos US$ 11,67 em 2010.

Para analistas, no entanto, o trabalho da empresa será árduo, pois a Big Blue vem acumulando consecutivos trimestres no vermelho - já são sete períodos fiscais com prejuízo.

Para chegar lá, o CEO Ginni Rometty deve demitir e colocar alguns trabalhadores de licença, vender ativos e recomprar ações, entre outras medidas. Os cortes já começaram em 2014, com demissões na Europa, Ásia e América do Sul.

Mais cortes devem chegar em breve, nas unidades dos Estados Unidos e Canadá, segundo informações da Alliance IBM, associação de funcionários da multinacional. A IBM não se manifestou sobre o assunto.