Em 2013 foram vendidas 13,9 milhões de unidades. Foto: flickr.com/photos/therift

Estudo realizado pelo IDC mostrou que o mercado brasileiro de computadores desktops encerrou o ano de 2013 com 13,9 milhões de unidades vendidas. O valor é 10% a menos se comparado ao número comercializado em 2012.

No ano anterior, as vendas alcançaram 15,5 milhões de unidades, decrescendo 2% ante 2011.

“Os consumidores estão buscando opções mais econômicas e que, em muitos casos, figuram ao usuário uma alternativa para consumo e interação”, disse Pedro Hagge, analista da IDC.

Segundo Hagge, o mercado de PCs também passa por um momento de acomodação, depois de 8 anos de crescimento acelerado.

“Agora, o que era uma tendência [queda nas vendas de PCs] passou a ser realidade e o setor começa a viver um momento de maturidade, com oscilações mais conservadoras”, disse.

O último trimestre do ano, que tradicionalmente concentra a maior parcela do volume de vendas, ficou aquém do esperado, e mesmo com as promoções de Natal e “Black Friday”,  apresentou volume 6% menor na comparação com o ano anterior e vendendo 3,5 milhões de unidades.

A informação segue a tendência mundial, já que as vendas globais de PCs caíram 9,8% em 2013, configurando a pior queda dos últimos anos.

Em setembro de 2013, o IDC estimou que a queda nas vendas seria de 9% em todo o ano de 2013.  Algum dos fatores que influenciaram foi o aumento do dólar visto que mesmo os produtos fabricados no país, usam componentes importados.
 
Neste contexto, foi no mercado corporativo que as vendas caíram mais. No primeiro trimestre de 2013, as compras do mercado corporativo caiu 15% contra 7% do segmento de consumo. 
 
Equipamentos com design mais fino, telas sensíveis ao toque, modelos conversíveis - com tela que pode ser separada e usada como tablet -, além da queda no preço dos smartphones devem continuar conquistando espaço no mercado.