Daniel Pereira, CEO da Clara. Foto: Divulgação.

Com o crescimento do uso de chatbots, as conversas automatizada estão deixando de servir apenas para as áreas de atendimento ao cliente e se tornando novos produtos. Um exemplo recém-lançado é a Clara, uma mentora virtual voltada para empreendedores.

Ao iniciar o uso da Clara, o empreendedor informa a fase em que seu negócio se encontra e qual o desafio enfrentado no momento. A partir disso, o chatbot inicia uma jornada com o usuário, que varia de acordo com o estágio e dificuldades de cada um.

“As principais dificuldades estão relacionadas à área financeira e a de legalização, que fala sobre questões como Micro Empreendedor Individual e Micro Empreendedor, mas a Clara atende a dúvidas de marketing, vendas, setor jurídico, entre outras”, explica Daniel Pereira, CEO da plataforma.

Hoje, a Clara conta com 15 jornadas diferentes a serem percorridas pelos empreendedores, mas cerca de 2 a 3 novas sequências são inseridas por mês.

“Além da mentora, os usuários da plataforma podem acessar um fórum que reúne todos os membros para postar dúvidas que não sejam atendidas pela Clara ainda. A partir disso, é possível criar novas jornadas para as questões que tiverem maior repercussão”, detalha Pereira.

A Clara foi desenvolvida com uma plataforma própria da startup e não conta com recursos de inteligência artificial. O sistema conta com palavras-chave parametrizadas e fluxos de navegação bem definidos para se relacionar com os usuários.

“Enquanto uma professora transmitiria um único conteúdo para todos usuários, a Clara recomenda conteúdo após conhecê-los melhor”, afirma o CEO.

Lançada em janeiro de 2017, a Clara oferece acesso aos conteúdos por meio de uma assinatura mensal, na qual o usuário paga uma taxa de R$ 29,90 para usar todas as funcionalidades. 

Com 3 mil usuários cadastrados hoje, a expectativa da empresa é fechar 2017 com mais de 20 mil e um faturamento de R$ 2 milhões.