Mauricio Doebeli. Foto: divulgação.

Oito empresas curitibanas de TI resolveram unir forças para aumentar seu poder comercial e capacidade técnica para competir no mercado nacional. Desta união saiu a Vinces IT, companhia que atua desde o início do ano.

A Vinces soma as expertises das companhias GTI, NS2E, isoCRM, Lince, ITSoftin, Golden Service, BPNC e Index, empresas que atuam nos segmentos de ERP, CRM, automação fiscal, com focos em diferentes verticais e atendendo a clientes do Paraná e regiões sul e sudeste.

De acordo com dados fornecidos pela companhia, em 2013 cada uma das oito empresas teve um faturamento na casa de R$ 1 milhão. Com a junção de esforços, a meta é chegar ao final de 2015 com o dobro no faturamento, chegando aos R$ 16 milhões.

Segundo destaca Mauricio Doebeli, presidente do conselho da Vinces IT e CEO da GTI, uma das companhias que integram a iniciativa, a nova empresa quer cumprir este objetivo oferecendo um portfólio mais abrangente e também ganhando respaldo entre clientes de maior porte.

"Individualmente, as empresas da Vinces atendiam mais clientes de médio e pequeno porte. Com esta reestruturação, teremos mais envergadura para trabalhar com clientes de maior tamanho", explica.

Para esta expansão, a empresa já conta com dois escritórios - a sede em curitiba e um escritório em Joinville. Para esta largada, as empresas investiram um total de R$ 1 milhão. A empresa já está estudando a abertura de uma unidade em Porto Alegre.

"Estamos de olho no mercado gaúcho, tanto que vamos participar da BITS para prospectar clientes e ver parcerias locais", destacou Doebeli.

As verticais na mira da Vinces já fazem parte da expertise das companhias integrantes, conforme aponta Doebeli. Os segmentos de saúde por distribuidores de medicamentos, móveis e decorações, construtoras, concessionárias de veículos e alimentícios foram alguns exemplos citados pelo chairman.

Na largada, a empresa já conta com clientes como Cremer, Móveis Campo Largo e Troller, entre outros. No entanto, Doebeli frisa que está no plano da empresa o investimento em uma área de desenvolvimento para atender novas verticais.

"Temos uma expertise no desenvolvimento de soluções de gestão específicas para diferentes verticais e também ERPs completos. Queremos expandir isso, oferecendo estes produtos on site e também em SaaS", destaca Doebeli.

Neste início, embora a Vinces seja a operação maior, as companhias participantes continuarão operando de forma independente também, em um processo de transição para uma unificação total das operações.

"Estamos centralizando processos como venda e desenvolvimento neste primeiro momento, compartilhando soluções e carteira de clientes. O plano é que em cinco anos a transição seja concluída", explica.