A Agility Networks realizou uma atualização tecnológica na Laborprint. Foto: alterfalter/Shutterstock.

A Agility Networks, integradora brasileira especializada em soluções de segurança, data center e entrega de aplicações, foi a integradora responsável pela atualização tecnológica do parque industrial da Laborprint Indústria Gráfica e Editora.

A atualização tecnológica atuou em três frentes: armazenamento, virtualização e segurança.

O projeto de segurança começou no início de 2016, com a aquisição do firewall da Palo Alto Networks, que permite controle total e pontual do ambiente. Os equipamentos antigos não acionavam o DR (disaster recovery) e os dois links de 50 megabytes ficavam saturados rapidamente.

Além disso, havia a demanda de segurança por conta da auditoria de alguns dos clientes da Laborprint, tanto de tráfego quanto de armazenamento, em função do envio de material confidencial via VPN para impressão.

Hoje, a Laborprint possui redes segredadas só para trabalhar com dados confidenciais dos bancos, sem custo adicional e sem compra extra de hardware.  

O projeto de armazenamento é anterior. Com o storage anterior próximo do fim de sua vida útil e com sua capacidade de armazenamento quase esgotada, a implementação aconteceu em 2014 com novo storage da NetApp, com 15 terabytes - dobro da capacidade de armazenamento do modelo anterior.

Além disso, dados estratégicos da Laborprint estavam espalhados pela empresa, e a solução de armazenamento da NetApp centralizou tudo em um único local. 

Depois foi iniciada a implementação da virtualização com WMware. A Laborprint tinha, na época, 13 máquinas físicas que geravam alto custo de energia e estavam ficando obsoletas e sem escalabilidade; em caso de falha, o custo de manutenção seria alto, além do tempo sem operação.

Dessas 13 máquinas, restaram apenas cinco. As outras foram virtualizadas com VMware. O objetivo da Laborprint é reduzir para apenas três máquinas físicas mais modernas até o final do ano.

“Estamos discutindo com a Agility a próxima etapa, que inclui novo nível de suporte e maior estruturação da empresa, não só em relação às máquinas, mas em relação aos processos. Estamos apostando muito no SaaS, com cada vez menos máquinas e cada vez mais soluções na nuvem”, revela Marcelo Martinez, CEO da Laborprint.

Por ter uma carteira de clientes com regras rígidas de governança, compliance e segurança, como bancos e redes varejistas, a Laborprint é periodicamente auditada e avaliada. Um dos pontos mais verificados é a segurança da infraestrutura de TI. 

Segundo Martinez, a atualização foi um passo além para a Laborprint fornecer aos clientes um ambiente mais seguro com contingência de máquinas, software, escalabilidade e performance.

A Laborprint atua com mais de 1 mil clientes no Brasil e conta com cerca de 300 funcionários. A empresa iniciou suas atividades em 1995 e atua em um parque gráfico de 10 mil m², na cidade de Barueri.

A Agility Networks foi fundada em 1991 e trabalha com fabricantes como F5 Networks, Palo Alto Networks, OpenStack, Nutanix, VMware, Citrix, NetApp e Infoblox.

Com sede na cidade de São Paulo, conta hoje com cerca de 130 colaboradores, dos quais 80% são dedicados ao atendimento técnico aos clientes.

A Agility aumentou em 40% seu faturamento em 2014, crescendo de R$ 73 milhões em 2013 para R$ 102,2 milhões.