JUDICIÁRIO

CNJ tem 45 vagas para profissionais de TI

28/04/2022 11:40

Trabalho em home office para desenvolvedores de software.

A carga horária é de oito horas diárias em horário comercial. Foto: Divulgação

Tamanho da fonte: -A+A

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) está com três processos seletivos abertos para 45 profissionais de TI atuarem no Programa Justiça 4.0, desenvolvido pelo CNJ em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud).

As oportunidades são destinadas para analista Scrum sênior (13 vagas), analista DevOps sênior (13 vagas) e desenvolvedor back-end pleno (19 vagas), todas para atuação remota. 

De acordo com o CNJ, não há exigência de dedicação exclusiva, mas a carga horária é de oito horas diárias em horário comercial.

As postagens não abrem salários, mas, tendo em conta que se trata do Judiciário, certamente uma expectativa positiva é justificada.

Lançado em 2020, o Programa Justiça 4.0 promove a transformação digital do Poder Judiciário brasileiro. Quem for contratado irá atuar no desenvolvimento de soluções e sistemas para integrar todos os tribunais do país na Plataforma Digital do Poder Judiciário.

A plataforma opera em nuvem e serve para unificar a tramitação de processos judiciais de tribunais do país. Ela também oferece busca integrada em bases de dados, modelos de inteligência artificial para maior agilidade da prestação jurisdicional e ferramentas para apoiar a gestão da magistratura.

As pessoas que atuarem como analista Scrum sênior serão responsáveis por garantir a eficiência e melhoria do processo de desenvolvimento de software. Elas também irão auxiliar e oferecer suporte no monitoramento e registro das atividades na ferramenta Jira. As inscrições ficam abertas até esta quinta-feira, 28.

Já os analistas DevOps sênior serão responsáveis pelo desenvolvimento, integração, configuração de infraestrutura e entrega dos artefatos de software do Programa Justiça 4.0. 

Eles irão contribuir nas fases de definição dos requisitos funcionais e não funcionais da solução, empregando processo de desenvolvimento, arquitetura de software, padrões de projeto, linguagens de programação, tecnologias de infraestrutura, incluindo na nuvem, e ferramentas previamente definidas.

E por último, os desenvolvedores back-end pleno serão responsáveis pelo desenvolvimento dos artefatos de back-end integrantes das soluções tecnológicas, oferecendo suporte à modelagem de requisitos e artefatos e ao desenvolvimento, empregando linguagem Java e framework Spring Boot.

Para as duas vagas, as inscrições ficam abertas até a próxima segunda-feira, 2.

Veja também

FASES
Alpargatas usa Qualtrics da SAP

Software implementado pela Capgemini ajuda a conferir o clima na empresa.

RETORNO
Orkut está de volta

Rede social foi um grande sucesso no Brasil no começo dos anos 2000.

INDÚSTRIA
Hahn é reeleito na ABII

Associação Brasileira de Internet Industrial foi criada em 2016.

CALOTE
Receita Federal não tem como pagar o Serpro

Grande confusão em Brasília, bem no meio da declaração do imposto de renda.

CIBERSEGURANÇA
Clavis recebe aporte de R$ 15 milhões

Investimento vem da Visagio e deve dar fôlego para uma futura abertura de capital.

E-COMMERCE
Senior agora tem marketplace próprio

A plataforma já conta com cerca de 100 vendedores e foi lançada em evento no metaverso.