Divulgação, World Economic Forum/Flickr

George Soros, conhecido magnata húngaro e 22ª pessoa mais rica do mundo, deve participar do leilão para as faixas de frequência da banda larga móvel de quarta geração, o 4G, em 12 de junho.

Ao menos essa é a expectativa do governo, diz o jornal Folha de S. Paulo.

Com a esperança de arrecadar ao menos R$ 4 bilhões com as ofertas, o governo conta com lances da empresa Sunrise, de Soros, além das operadoras de telecomunicações Oi, Claro, Vivo, TIM, Nextel e Sky.

No caso de soros, o interesse seria na transmissão de dados, e não em serviços de voz.

“Ninguém vai querer ficar de fora de um negócio que é o futuro do setor: uma internet que tem velocidade dez vezes mais rápida do que a 3G atual”, disse Paulo Bernardo, ministro das  Comunicações, de acordo com a Folha.

Para Eduardo Tude, presidente da consultoria Teleco, o governo superestima a arrecadação e o leilão, cujo preço mínimo é de R$ 3,8 bilhões.

“Quem vai investir em uma área no meio da Amazônia? Acredito que o leilão renda pouco mais de R$ 2 bilhões”,  pondera Tude ao jornal.

O que não for vendido poderá fazer parte de um futuro "leilão de sobras".

Há pouco mais de duas semanas, TIM, Oi, Vivo, Claro e a sueca AINMT (que controla a Net1) pediram a impugnação de algumas regras do processo.