Matias Bedacarratz.

A Tech6, companhia que já trabalhava com o CRM da Salesforce e o software de planejamento orçamentário Sysphera, acaba de se tornar uma revenda da multinacional de Business Intelligence MicroStrategy no Brasil.

Hoje a MicroStrategy tem 13 parceiros no país, um número que tem se mantido mais ou menos estável nos últimos anos. O grupo se divide entre empresas de médio porte que trabalham com BI, como Dimensão TI, Leega e G2M e companhias com softwares de outra área que oferecem um pacote com a MicroStrategy, como Senior ou Salux.

A Tech6 fez uma contratação de peso para a nova área: Matias Bedacarratz, profissional que atuou por mais de 15 anos na MicroStrategy, ocupando recentemente o cargo de country manager, na Argentina. 

“As ofertas para serão potencializadas pelas soluções que temos entregado no Brasil. Temos vários webinars programados para soluções para telecom, call center e muitos outros”, adianta Bedacarratz.

A Tech6 conta com clientes em toda América Latina, Estados Unidos e Portugal, possuindo escritórios em Porto Alegre, Florianópolis e São Paulo.

A MicroStrategy deu uma sacudida no Brasil no final de 2018, com a contratação de Celso Oliveira ex-gerente geral da Quest para América Latina, acaba de assumir o cargo de country manager da empresa.

Um pouco antes de trocar o comando no Brasil, mudou também o VP para América Latina: saiu Flávio Bolieiro, responsável por abrir a operação no Brasil em 1999, ex-country manager Brasil e desde 2007 VP.  

Semanas depois foi anunciado para o cargo Amaury Gallisa, ex-VP para vendas na América Latina da Micro Focus.

Fundada em 1989, a MicroStrategy faz parte da primeira geração de empresas de Business Intelligence, junto com Business Objects e Cognos.

Mas, enquanto a Cognos e a Business Objects foram compradas por IBM e SAP, a MicroStrategy seguiu uma empresa independente.

O período de maior crescimento foi no começo dos anos 90. No ano passado, o faturamento foi de US$ 486 milhões, uma queda de 2,4%, mais uma em uma série de pequenos declínios desde 2015, quando a empresa caiu 8,62%.

A última grande novidade no segmento foi a ascensão nos últimos anos de players voltados a abordagens simplificadas de análise de dados, com softwares mais simples de implementar como Qlik e Tableau.

A MicroStrategy compete nos dois flancos, com produtos em nível “corporativo” e na nova abordagem “self service”.