Foto: flickr.com/photos/pacgov

As áreas de petróleo, gás e energia e TICs serão contempladas, ainda no mês de julho, com um novo edital inédito do governo do estado gaúcho no valor de R$ 2,5 milhões.

Os recursos são do Programa Rede Riograndense de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação(Rede Riosul), no âmbito do RS Tecnópole, da Secretaria da Ciência, Inovação e Desenvolvimento Tecnológico(SCIT).

Segundo o secretário da SCIT, Cleber Prodanov, as ações da rede focam nas necessidades do setor.

“O objetivo é a integração com economias emergentes no estado, fomentando a transferência de tecnologia da academia para sociedade”, afirmou Prodanov.

Prodanov acrescenta que os projetos devem ser apresentados por no mínimo duas instituições que fazem parte da Rede Riosul e por uma empresa para serem aceitos na concorrência.

PETRÓLEO E GÁS
Graças aos investimentos da Petrobras no Rio Grande do Sul – que deverá desembolsar US$ 10 bilhões somente na cidade de Rio Grande, na zona Sul, onde possui estaleiros – o setor de óleo e gás gaúcho está movimentado recentemente.

Um dos cases de maior sucesso é a Altus. Em junho de 2011 a empresa de automação fechou um contrato de R$ 115 milhões com a estatal.

O maior negócio da história da companhia gaúcha envolve a tarefa de automatizar as oito plataformas da Petrobrás a se originarem dos oito cascos já em produção na cidade de Rio Grande.
 
No mesmo mês, a empresa também foi contratada, no valor total de US$ 8,25 milhões, para automação da P-58 e da P-62, as duas novas plataformas de petróleo em construção pela Petrobras.

As estruturas são destinadas à Bacia de Campos e atualmente sendo montadas em Rio Grande, no Rio Grande do Sul, e em Suape, em Pernambuco. Elas terão capacidade para 360 mil barris de petróleo por dia quando entrarem em operação, em 2013 e 2014, respectivamente.

Além disso, a Unisinos inaugura, na próxima semana, um laboratório de testes e certificações especialmente focado no setor.

APROXIMAÇÃO COM A TI
O edital também agrada outros setores da TI. Para o presidente da Assespro-RS, Reges Antonio Bronzatti, o lançamento demonstra a percepção do governo às necessidades do setor.

“Na nossa área, faltam investimentos, profissionais e também uma integração com os grandes players na produção de softwares”, afirmou.

O diretor técnico da SCIT, Luciano Andreatta destaca que a secretaria tem participado de fóruns envolvendo o poder público e a academia para ouvir as demandas do setor.

“Participamos de um seminário envolvendo a Universidade de São Paulo (USP) e a Procergs, onde foram apresentados os temas do setor a partir de uma clara visão de futuro”, diz Andreatta.