Aurora rastreia o leite do fornecimento à cooperativa até a venda no mercado. Foto: divulgação.

A Coopercentral Aurora Alimentos, cooperativa que tem sede em Chapecó e em 2012 faturou R$ 4,6 bilhões, alta de 18,1% sobre 2011, se baseia em um sistema de rastreabilidade ativa do leite para evitar e combater fraudes como as que ocorreram há pouco no Rio Grande do Sul, envolvendo casos de adulteração do produto por fornecedores.

O sistema funciona por meio do código P.A.R. (Programa Aurora de Rastreabilidade), que é baseado em padrões GS1 de automação e, impresso em cada caixinha do produto, funciona como um “RG do leite”, explica o presidente da Coopercentral Aurora, Mário Lanznaster.

“O código garante o monitoramento do processo produtivo, além do controle dos parâmetros de qualidade em tempo real. Com a rastreabilidade, as informações são relacionadas a cada caixinha de leite, e não a um lote”, explica o executivo

Assim, o sistema permite diagnosticar, solucionar e prevenir eventuais problemas com a utilização de uma ferramenta online que expõe e cruza os dados ao longo de todos os processos - recepção da matéria-prima, processamento, envase, controle de qualidade e distribuição.

Para o cliente final, isso se traduz em uma lista de informações que inclui origem da matéria-prima, data de produção, unidade produtora, linha de envase, ultrapasteurizador, validade do produto, data e horário de início e fim da produção, volume de leite produzido no mesmo lote, nº do lote de material de embalagem, fornecedor do leite, análise de qualidade da matéria-prima e data de realização e aprovação do produto.

Para obter as informações, o consumidor acessa o hotsite do P.A.R e digita o código da caixinha.

Além da sede catarinense, a Aurora mantém 70 unidades espalhadas pelo país, 13 cooperativas filiadas, 62.346 associados e mais de 16 mil colaboradores.

Além da área de laticínios, a organização atua em fábrica de rações, carnes suínas e de aves, além da fabricação de pizzas, somando um mix de mais de 650 produtos.

No ano passado, a maior parte das receitas do negócio veio do mercado doméstico, com vendas de R$ 3,8 bilhões, ou 84,3% do faturamento geral, mas as exportações também são fortes, tendo somado R$ 726 milhões em 2012.