A Klabin acaba de inaugurar seu Centro de Tecnologia, localizado em Telêmaco Borba. Foto: Divulgação.

A Klabin, produtora e exportadora de papéis, acaba de inaugurar seu Centro de Tecnologia, localizado em Telêmaco Borba, no Paraná. O novo ambiente completa a integração das frentes de pesquisa e desenvolvimento e das áreas de negócio da companhia. 

A construção do centro integra um plano de investimento em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (P&D+I) de R$ 70 milhões em três anos (até 2017), que inclui, ainda, a compra de equipamentos, a atualização dos laboratórios de pesquisa florestal e a formação e contratação de técnicos e pesquisadores.

Com laboratórios capazes de produzir uma gama diversa de produtos de base florestal e realizar simulações das linhas de produção das fábricas, o centro busca antecipar tendências e criar novas tecnologias e aplicações sustentáveis. 

O Centro de Tecnologia Klabin se dedicará a cinco rotas de pesquisa: qualidade da madeira; desenvolvimento de novos produtos e aplicações - celulose; desenvolvimento de novos produtos e aplicações - papéis para embalagem; novas rotas tecnológicas com base florestal; e meio ambiente e sustentabilidade. 

Para isso, a companhia estruturou também uma rede nacional e internacional de parceiros com incubadoras de tecnologia, universidades e centros de pesquisas.

“Estamos elevando as atividades de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação da Klabin a um patamar ainda mais alto. O novo Centro de Tecnologia reúne profissionais e laboratórios de ponta, garantindo que a empresa ganhe em velocidade de desenvolvimento e trabalhe no estado da arte da sua área de atuação”, ressalta Francisco Razzolini, diretor de Tecnologia e Unidade de Celulose da Klabin.

Os departamentos de pesquisa e desenvolvimento florestal e industrial contarão com mais de 100 profissionais dedicados à pesquisa e inovação. A equipe é composta por engenheiros florestais, químicos e industriais da madeira. A Klabin também investiu fortemente na formação e contratação de técnicos e pesquisadores.

A inauguração do Centro de Tecnologia acontece exatamente um ano depois da abertura da Unidade Puma, em Ortigueira, também no Paraná. Maior investimento da história da Klabin, a Unidade, que iniciou sua produção em março de 2016, levou a empresa a ser a única do país a produzir, a partir de uma mesma planta industrial, celulose de fibra curta, celulose de fibra longa e celulose fluff. 

Com capacidade de produção de 1,5 milhão de toneladas de celulose, o projeto recebeu aporte de R$ 8,5 bilhões, incluindo infraestrutura, impostos e correções contratuais e elevou a Klabin à condição de autossuficiência na geração de energia elétrica.