Paulo Cunha, country manager para o setor público da AWS no Brasil. Foto: Rafael Roncato/Divulgação.

A Amazon Web Services (AWS) acaba de lançar o AWS EdStart no Brasil. O programa é voltado para aceleração de startups focadas em tecnologia educacional.

Globalmente, o programa está em operação há dois anos e já colaborou com 300 startups em 31 países.

Como parte do projeto, a AWS financia o uso de nuvem das startups selecionadas. A empresa já investiu US$ 2 milhões em créditos para participantes do EdStart no mundo.

Focado em tecnologias de ensino e aprendizado, o AWS EdStart ajuda startups em fase inicial a captarem recursos e profissionais necessários para o crescimento e desenvolvimento de seus negócios. 

"A AWS trabalha diretamente com uma comunidade de pessoas e organizações dispostas a buscar soluções que resolvam os problemas globais de educação. É um mercado com anseios pela transformação digital e por tecnologias como machine learning, inteligência artificial, big data e segurança de dados", comenta Paulo Cunha, country manager para o setor público da AWS no Brasil. 

Além dos créditos da AWS, o EdStart oferece treinamentos técnicos (como webcasts, sessões de capacitação e apresentações especializadas) e mentoria (colaboração entre líderes setoriais experientes e startups de tecnologia educacional).

"Os beneficiados podem fazer parte do programa pelo tempo que desejarem, porque entendemos que a troca de ideias e experiências é essencial para a inovação", explica Cunha.  

Para participar, as startups precisam ter menos de 5 anos de presença de mercado e uma receita anual inferior a US$ 10 milhões.

*Júlia Merker cobriu o AWS Summit, em São Paulo, a convite da AWS.