Tomás Ferrari, CEO e fundador da GeekHunter. Foto: Divulgação.

A startup GeekHunter, desenvolvedora de uma plataforma que auxilia empresas a contratar profissionais na área de TI, é a segunda empresa a receber aporte de recursos por meio da Rede de Investidores Anjo (RIA) Santa Catarina, iniciativa da Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (ACATE) em parceria com a Anjos do Brasil. 

Em março, a empresa participou do primeiro fórum da RIA, apresentando seu modelo de negócio para os participantes da rede.

Agora, a empresa anuncia o primeiro round de aportes por meio de seis investidores anjo, tendo como investidor líder Eduardo Smith. Entre 2003 e 2014, Smith atuou no Grupo RBS, passando por cargos como diretor de desenvolvimento de negócios e vice-presidente para Jornais, Rádio e Digital.

Os recursos serão utilizados para acelerar o crescimento da empresa, com a busca de novos contratantes para a plataforma e a evolução do produto. 

A plataforma da GeekHunter oferece às empresas currículos de profissionais de TI e apresenta aos candidatos as melhores oportunidades de trabalho no mercado. 

“Por meio da plataforma, fazemos uma bateria de testes para filtrar apenas os melhores candidatos para cada perfil de função (programador Java, Phyon, PHP, iOS, Ruby etc.) e são aprovados apenas 5% dos candidatos. Isso reduz significativamente o ciclo de contratações, o custo do processo de recrutamento e todo o inconveniente e as perdas por não ter os profissionais certos”, comenta Tomás Ferrari, CEO e fundador da GeekHunter. 

Com sede em Florianópolis, a startup começou a operar em julho de 2015, na incubadora Celta. Hoje já são mais de 10 mil candidatos cadastrados na plataforma, distribuídos em todo o Brasil, especialmente nas regiões Sudeste (62%) e Sul (20%). 

Mais de 230 empresas - entre elas Dafiti, Ambev, BlueTicket, Chaordic, BankFacil e GuiaBolso - utilizam a solução, que fazem cerca de 160 ofertas de emprego por mês. 

O serviço é gratuito para os candidatos e pago pelos contratantes, apenas em caso de sucesso na contratação. 

“É uma startup madura, que já atingiu o breakeven mesmo com pouco tempo de mercado. Além disso, mostrou uma solução que de fato pode ajudar a resolver um problema sensível no mercado de tecnologia”, comenta Marcelo Cazado, líder da Rede de Investidores Anjo da ACATE.