Larry Ellison, chairman da Oracle. Foto: Divulgação.

A Oracle firmou um acordo para adquirir a NetSuite por cerca de US$ 9,3 bilhões, ou US$ 109 por ação em uma transação em dinheiro.

O CEO da Oracle, Mark Hurd, afirma, em nota, que as ofertas de serviços em nuvem das duas companhias destinadas a clientes corporativos continuarão a operar, coexistindo no mercado "para sempre". Segundo ele, a Oracle pretente investir “fortemente” em ambos os produtos, em engenharia e distribuição.

Fundada em 1998, a NetSuite se promove como “a primeira empresa de nuvem", pois já oferecia aos clientes um software de planejamento financeiro por um modelo de assinatura. 

Larry Ellison, chairman da Oracle, possui mais de 40% da NetSuite através da participações pessoal e familiar. Com isso, o negócio da Oracle para adquirir a companhia colabora para que ele siga na lista de mais ricos do mundo, em que está na 7ª colocação. 

O negócio com a NetSuite é a maior aquisição da Oracle desde que a companhia comprou a PeopleSoft por US $ 10,3 bilhões em 2004, segundo o New York Times

A compra da NetSuite está no centro da estratégia da Oracle para se reinventar no universo da computação em nuvem, segmento que tem mexido com os negócios de software nos últimos anos. 

Empresas como Google, Microsoft e Amazon criaram mercados que valem bilhões, enquanto IBM, Hewlett-Packard e Oracle têm se esforçado para mudar seus modelos de negócios.

A NetSuite tem mais de 5 mil funcionários e é especializada em contabilidade e outros softwares de back-office para e-commerce, especialmente para pequenas empresas. A empresa também criou um software online para manufatura. 

Nos últimos anos, a Oracle tem comprado empresas de nuvem e investido em mudanças em sua equipe de vendas e engenharia para se adequar a realidade cloud. O esforço parece estar no caminho certo, pois no último ano fiscal a empresa teve uma alta de 49% na receita com vendas de software em nuvem, alcançando US$12,2 bilhões.

Isso é suficiente para tornar a Oracle uma das maiores empresas de nuvem, mas ainda significa apenas 8% do faturamento da companhia.

A transação com a NetSuite deve ser concluída ainda em 2016, sujeita a aprovações regulatórias e a um acordo pela maioria dos acionistas da NetSuite, não incluindo ações detidas por executivos da NetSuite ou relacionados a Larry Ellison.