SaaS é a preferida dos brasileiros na nuvem. Foto: flickr.com/nirak.

Em meio à expansão das soluções baseadas em nuvem, a adoção do Software como Serviço (SaaS) é a mais procurada pelas empresas brasileiras, segundo aponta estudo divulgado pela Frost & Sullivan.

Segundo mostra o levantamento, feito pela consultoria a pedido da SAP, a crise econômica global e a saturação de alguns mercados impulsionou as empresas a cada vez mais focarem no aumento de eficiência e competitividade, reduzindo custos através da computação em nuvem.

Dentre as empresas que já adotaram alguma solução na nuvem, o software como serviço (SaaS) lidera no campo, com 88% de adoção entre os entrevistados. A infraestrutura como serviço (IaaS) e plataforma como serviço (PaaS) tiveram números menos expressivos, registrando 42% e 39% de penetração, respectivamente.

Em 2012, apenas 23,1% das empresas entrevistadas haviam implementado ou estavam em processo de implementação de uma solução na nuvem, enquanto que 38,8% possuía algum projeto piloto ou estava estudando o conceito.

"Empresas de diversos segmentos têm buscado a nuvem para conquistar diferenciais competitivos como elevada disponibilidade e escalabilidade de seus sistemas e redução de custos", analisa Fernando Belfort, líder de tecnologia da Frost & Sullivan para América Latina.

PMEs

Outro aspecto citado pela pesquisa é o aumento de interesse de aplicações em nuvem para pequenas e médias empresas (PMEs). Segundo a consultoria, os preços inferiores da nuvem ajudou as companhias de menor porte a transpor barreiras que impediam o uso de tecnologias de ponta.

No médio prazo, cerca de 45% da receita com serviços na nuvem serão provenientes do segmento de PMEs.

Para Sandra Vaz, vice-presidente de vendas para ecossistema e canais da SAP SoLA (Southern Latin America), a busca por competitividade, tanto no mercado interno quanto externo, está levando as PMEs a investir em tecnologia para alcançarem maiores eficiência operacional e produtividade e um melhor controle do negócio.

Apesar do cenário promissor para o mercado brasileiro de Computação em Nuvem, ainda há barreiras a serem vencidas e conceitos a serem desmistificados.

Dúvidas com relação à segurança na nuvem foram citadas por 69% das empresas entrevistadas como o principal inibidor da adoção de soluções em Cloud.

Outros fatores como conectividade e dificuldades de integração com a infraestrutura legada também representam barreiras para a adoção da nuvem no Brasil.