Em vendas, smartphones deixam celulares para trás pela primeira vez na história. Foto: flickr.com/tabor

Pela primeira vez os smartphones superaram os celulares tradicionais no Brasil, atingindo a marca de 8,3 milhões de unidades vendidas no segundo trimestre deste ano, crescimento de 110% em relação ao mesmo período em 2012.

Os celulares convencionais cresceram 35% ano/ano no país.

É o que indica um estudo da IDC Brasil, mostrando que de abril a junho foram vendidos aproximadamente 15 milhões de celulares no país, dos quais 54% foram smartphones e, destes, 90% usam Android, com os demais sistemas dividindo a fatia de 10% restante.

“Este impressionante crescimento dos smartphones se deu por vários movimentos distintos e complementares, como por exemplo, a ampliação do mix de produtos em diferentes faixas de preço por parte dos fabricantes, o aumento  das promoções e a maneira como os aparelhos estão sendo expostos tanto na operadora como no varejo”, comenta Leonardo Munin, analista de mercado da IDC Brasil.

Ele também aponta o inicio da aplicação da desoneração fiscal (MP do Bem) para os produtores locais de smartphones como um fator importante, diminuindo os preços na ponta e alavancando as vendas.

O preço médio dos smarphones, que estava em torno de US$316 no primeiro trimestre, caiu para US$ 240.

“Smartphones de menor preço seguem ganhando tração no mercado, mas a chave para o sucesso dos fabricantes é manter esta oferta de preços baixos em adição a uma oferta de produtos e serviços premium também”, diz Munin.

O IDC aponta também um aumento da quantidade de celulares inteligentes multi-sim, que há um ano representavam 15% do mercado e hoje correspondem a mais de 40%.

“Fica, agora, a expectativa por configurações melhores nos dispositivos low e mid-end. Telas maiores e câmeras de qualidade superior são alguns dos requisitos que devem evoluir nestas categorias de entrada do mercado”, conclui o analista da IDC.