EPTI a todo vapor no projeto de modernização. Foto: Prefeitura de Gravataí

A prefeitura de Gravataí, na Grande Porto Alegre, acaba de investir R$ 62,67 mil em um projeto de segurança da informação com a BluePex.

O investimento foi dividido em 400 licenças do antivírus AVware Defesa BR, ao valor unitário de R$ 49,28; um servidor UTM também da BluePex, por R$ 35,46 mil, e outros R$ 7,5 mil em serviços de instalação das soluções e equipamentos.

Coordenado pelo Escritório Público de TI (EPTI) da cidade, que tem 250 mil habitantes e é a quarta maior economia do Rio Grande do Sul, o projeto faz parte de uma iniciativa maior, que prevê atualização de toda a infra de TI da prefeitura, o que só na parte física é avaliado em um total de R$ 2 milhões.

O orçamento é previsto para um plano cujas ações deverão ir ocorrendo ao longo deste e do próximo ano, pelo menos.

Conforme Selma Fraga, coordenadora do EPTI, o projeto de upgrade do parque de TI da gestão municipal iniciou em outubro de 2011, quando tomou posse a gestão atual, comandada pelo prefeito Acimar Silva, depois do impeachment da então prefeita Rita Sanco.

A coordenadora explica que o departamento de TI se reuniu e averiguou a estrutura, que demonstrava obsolecências, insuficiências e falhas diversas. Deste ponto, iniciaram as mudanças.

O trabalho começou por recuperação de cabos e máquinas, feito pela própria equipe de TI da prefeitura, e seguiu com compras de computadores, para os quais licitações definiram fornecedores diversos.

Em 90 dias, foram recuperados 30 computadores e comprados outros 50, mas ainda há muito por fazer: ao todo, a meta é renovar uma rede composta por pelo menos 400 máquinas.

Em seguida, iniciaram tratativas para troca do ERP – saiu o da Cetil, de Blumenau, usado há anos, e entrou o da IPM, de Rio do Sul, focado especificamente no segmento de prefeituras e contratado emergencialmente por 180 dias. 

A licitação do sistema, contudo, está agora suspensa devido a questionamentos sobre a modalidade adotada.

MAIS POR VIR

Novidades virão também em mais serviços para o portal do município, que também já foi melhorado, com unificação de cadastros de cidadãos e funcionários públicos, por exemplo, e hoje soma 20 mil acessos/dia.

Ferramentas de conectividade para todas as instâncias ligadas à prefeitura, como postos de saúde e escolas, também estão nos planos futuros.

SEGURANÇA FARDADA

Por enquanto, o projeto de segurança da informação é o mais evidente.

Não é para menos: o antivírus AVware Defesa BR é o mesmo usado pelo exército brasileiro, que em janeiro deste ano migrou para a plataforma, trocando sua base de antivírus da espanhola Panda.

Com a suíte, a prefeitura de Gravataí já promoveu uma varredura no ambiente de rede que resultou na detecção e exclusão de 160 mil vírus e malwares.

As soluções foram implementadas pela própria BluePex, em conjunto com profissionais da revenda Ciclo2.

“Além de evitar o ingresso de novas pragas, agora podemos agir estrategicamente. Antes, atuávamos apenas na resolução de problemas dos usuários. Hoje, o UTM nos fornece informações estatísticas sobre o tráfego na rede e podemos agir proativamente e planejar melhorias”, explica Selma.

Gerenciamento de acesso a redes sociais, ferramentas de chat e sites maliciosos são outros benefícios trazidos pelas ferramentas de segurança.

“Temos muito ainda por fazer, a renovação de nossa TI é um trabalho para anos. Mas começamos e estamos indo bem, esperamos que os projetos sejam mantidos”, finaliza ela, referindo-se à possibilidade de mudança na administração municipal, em função das eleições por vir.

A preocupação se justifica pelos indicadores de intenções de voto na cidade gaúcha.

A última pesquisa eleitoral divulgada na quarta-feira, 26, pelo jornal Correio de Gravataí, o candidato do PT, Daniel Bordignon, libera a preferência dos eleitores, com 29,5%, enquanto o da situação, o pemedebista Marco Alba, tem 26,3%.

O levantamento foi feito junto a 400 pessoas de Gravataí, entrevistadas pelo Studio Pesquisa e Consultoria.