Anatel para as operadoras de TV paga: ou vai ou racha. Foto: flickr.com/photos/m2714.

A Anatel estipulou para as empresas de TV por assinatura um prazo de trinta dias para que elas apresentem um plano de ação para melhorar a qualidade dos serviços.

Segundo a Computerworld, a agência deu o ultimato em reunião nesta quinta-feira, 27, com as empresas GVT, Embratel, Net, Oi e SKY.

De acordo com o superintendente de serviços de comunicação de massa da companhia, Marconi Maia, apesar do setor estar crescendo na faixa de 30% ao ano, as reclamações estão crescendo "na faixa de 100%".

"Estamos tentando agir proativamente, fechando com as empresas pra que elas apresentem planos de melhoria para resgatar os padrões de reclamações de atendimento. Não dá para aceitar esse crescimento de reclamações", disse.

Somente as operadoras Telefônica (TVA) e Algar foram poupadas da convocação.

A Anatel defende que o número de reclamações dessas empresas ainda não ultrapassou a meta de tolerância estipulada, mas não descarta a possibilidade de convocá-las, caso uma nova pesquisa aponte também problemas.

De acordo com a agência reguladora, as empresas devem manter um número de reclamações inferior a 0,65 para cada mil assinantes.

PRA RESOLVER NUMA BOA

São vistas com preocupação as insistentes falhas das empresas no trato com os usuários, que fez crescer de forma expressiva o número de queixas registradas no call center da agência.

O recorde de reclamações, conforme publicado pela Anatel, foi registrado em março deste ano, quando 15.457 consumidores recorreram à agência para tentar resolver as pendências com as empresas.

Em março do ano passado, o número de queixas era pouco maior que 8.200.

Os erros na cobrança das faturas lideram a lista de problemas levados à Anatel, seguidos pela dificuldade de cancelar contratos e problemas com o aparelho ou com a qualidade do sinal.

Para a Anatel, é intenção é resolver o problema com a TV paga antes que sejam necessária medidas mais dramáticas, como ocorreu no meio do ano com as operadoras de telefonia, que tiveram seus serviços suspensos por 11 dias.