Bruno Hacad, diretor de operações da FreteBras. Foto: divulgação.

A FreteBras, plataforma goiana voltada ao transporte de cargas, recebeu um aporte de US$ 17 milhões (cerca de R$ 95 milhões) do BID Invest, membro do Grupo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), através do Fundo de Tecnologia Limpa (CTF). 

Fundada em 2008, a FreteBras criou um site no primeiro momento, tornando-se a primeira plataforma on-line de transporte de cargas.

Em 2013, a empresa lançou o primeiro aplicativo do segmento, permitindo que os caminhoneiros pudessem visualizar no celular todos os fretes publicados pelas transportadoras, já filtrados pelo seu tipo de veículo e carroceria.

Hoje, a companhia conecta mais de 10,5 mil transportadoras, que assinam seu serviço, a mais de 430 mil caminhoneiros cadastrados em sua ferramenta para a realização dos fretes. Seu aplicativo para caminhoneiros já atingiu a marca de 1,4 milhão de instalações. 

No primeiro semestre deste ano, a companhia alcançou a marca de 2 milhões de fretes publicados em seu aplicativo, o que representa um crescimento de 50% em comparação com o mesmo período de 2019.

Os fretes distribuídos nos primeiros seis meses de 2020 totalizam a quantia de aproximadamente R$ 20 bilhões.

A FreteBras tem sede em Catalão, cidade do sudeste Goiano que é próxima a grandes centros, como Brasília, Goiânia e Triângulo Mineiro. Sua filial fica em São Paulo, contando hoje com quase 100 funcionários no total.

Suas publicações para entregas são para o Brasil inteiro, com cobertura de mais de 95% das cidades brasileiras.

Com o novo aporte, a empresa pretende aumentar o time para acelerar a entrega de melhorias na experiência do usuário, além de desenvolver ferramentas voltadas para ampliar a segurança da plataforma, tanto para transportadoras quanto para caminhoneiros. 

“Alcançamos resultados bem expressivos nos últimos meses, apesar do cenário desfavorável da pandemia. Esse aporte nos dá ainda mais ânimo para continuarmos crescendo”, afirma Bruno Hacad, diretor de operações da FreteBras.

Como o investimento foi realizado através do Fundo de Tecnologia Limpa (CTF), ele também contribuirá para o desenvolvimento de uma metodologia de controle de emissões de gases de efeito estufa.

A metodologia será alavancada através da tecnologia que a FreteBras possui para reduzir a capacidade ociosa de caminhões e deve ajudar a companhia a medir e reduzir seu impacto ambiental.

“Estamos contentes em nos juntarmos à FreteBras e vemos que o modelo de negócios da empresa baseado em tecnologia e dados tem grande potencial para otimizar o mercado de transporte rodoviário de cargas no Brasil”, ressalta James Scriven, CEO do BID Invest.

Com um portfólio de US$ 12,1 bilhões em ativos sob administração e 333 clientes em 24 países, o BID Invest tem foco em financiar empresas e projetos sustentáveis na América Latina e no Caribe.