Instituições financeiras estimam que economia vai crescer menos em 2014. Foto: flickr.com/photos/murilocardoso.

As instituições financeiras observadas pelo Banco Central revisaram o crescimento da economia em 2014. Agora, a expansão do PIB passou de 2,20% para 2,13%.

A expectativa desse ano permanece a mesma: 2,5%, segundo matéria da Exame. 

Da mesma forma, a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB foi de 34,55% para 34,50% em 2013 e 2014.

A pesquisa aponta ainda que o dólar deve fechar o ano a R$ 2,25 e, em 2014, a R$ 2,40.

Para a produção industrial, a projeção também reduziu de 1,84% para 1,80% nesse ano e de 2,50% para 2,39% no próximo.

O superávit comercial, saldo positivo de exportações menos importações, diminuiu de US$ 2 bilhões para US$ 1,97 bilhão. Porém, em 2014, a previsão aumentou de US$ 8,2 bilhões para US$ 8,5 bilhões. 

O estudo indica que a previsão do saldo negativo em transações correntes (de compra e venda de mercadorias e serviços do Brasil com o exterior) segue US$ 79 bilhões e, para 2014, mudou de US$ 74,4 para US$ 73,35 bilhões .

Visando ao investimento estrangeiro direto a estimativa foi mantida em US$ 60 bilhões tanto para 2013 quanto para o próximo ano.