Tá difícil pro Apple Pay. Foto: divulgação.

Em meio à uma grande concorrência de diferentes padrões e serviços de pagamentos móveis, muitos analistas consideraram a chegada do Apple Pay uma guinada para o mercado. Eles acreditavam que a força da marca da maçã seria capaz de unir o setor varejista em torno de uma tecnologia de pagamento. Entretanto, parece que não é isso que está ocorrendo.

Segundo destaca a Reuters, algumas grandes varejistas norte-americanas estão se recusando a usar o novo serviço de pagamento eletrônico da Apple ao desenvolver sistemas concorrentes para ter mais lucros com a eliminação de taxas com cartões de crédito.

O Wal-Mart está entre os cerca de 50 grandes varejistas que escolheram não aceitar o Apple Pay, junto a Rite Aid e a rede de farmácias CVS HealthCorp.

As três companhias afirmaram que estão apoiando o desenvolvimento de seus próprios sistemas de pagamentos, chamados Current C, por meio do consórcio Merchants Customer Exchange (MCX).

Com a criação de seus proprios sistemas, as lojas tem a intenção de cortar custos com as operadoras de cartão de crédito, como Visa e Mastercard, deixando de arcar com taxas de transação, que ficam entre 2 e 3% por operação.

"A economia e os benefícios de se ter seu próprio sistema de pagamentos é definitivamente uma das principais razões", disse Hitesh Sheth, presidente-executivo da empresa de tecnologia para varejo e segurança cibernética Vectra Networks, à agência internacional.

Quando perguntada pela atitude das redes CVS e Rite Aid, a MasterCard nao aprovou a decisão das varejistas, afirmando que esta postura limitará as opções dos consumidores.

"Estamos desapontados com o fato de tanto a Rite Aid como a CVS terem decidido bloquear seus consumidores de usar o método de pagamento que escolherem", declarou o porta-voz da Mastercard, Jim Issokson.

Os varejistas que estão rejeitando o Apple Pay também recusaram usar sistemas de pagamento móvel como Google Wallet e Softcard.  

A Target disse que apoia o MCX mas que também permite aos usuários realizar compras online por meio de seu aplicativo móvel usando o Apple Pay.

O peso-pesado Wal-Mart, rede varejista com centenas de lojas no território norte-americano, disse também que a empresa não está usando o Apple Pay e que está focada no MCX, por fazer parte do consórcio.

Lançado há pouco menos de um mês, o Apple Pay é um aplicativo de pagamento móvel que permite aos consumidores comprar com seus iPhones 6 e 6 Plus, por meio de comunicação via proximidade (NFC) em que só é preciso aproximar o telefone de um sensor instalado nos pontos de venda.