SAÚDE BEM GERIDA

MV no maior complexo hospitalar da AL

28/11/2012 17:00

Hospital das Clínicas da USP contratou o ERP Soul MV. Implantação levará 36 meses e atingirá sete mil usuários.

Paulo Magnus, presidente da MV. Foto: divulgação

Tamanho da fonte: -A+A

O Hospital das Clínicas de São Paulo (HCFmusp), que segundo a Secretaria de Estado da Saúde é o maior complexo hospitalar da América Latina, contratou o ERP Soul MV, da MV Sistemas.

O projeto, cujo investimento não é revelado, tem implantação prevista de 36 meses, com uso gradativo do sistema. Ao final, serão sete mil usuários.

Conforme o coordenador de TI do hospital, Jacson Barros, o Soul MV será usado na área administrativa e assistencial, gerenciando as informações de 2.153 leitos distribuídos entre oito institutos especializados, dois hospitais auxiliares e um hospital associado.

O HCFmusp atende em média a oito mil pacientes ambulatoriais por dia e realiza cerca de 4,5 mil internações por mês.

“Pela primeira vez o hospital está investindo em um sistema integrado de gestão. Vamos eliminar o gargalo que existe no atendimento ao paciente”, ressalta Barros.

Segundo ele, um das maiores expectativas da diretoria e corpo clínico em relação ao sistema é a utilização do prontuário eletrônico, que garante a automatização de toda inserção e gestão de dados sobre um paciente.

Outro benefício será no controle de medicamentos, automatizando prescrições e procedimentos de dosagem e aplicação, o que evita enganos que, conforme fontes do mercado hospitalar, são os erros médicos mais comuns.

Autarquia estadual vinculada à Secretaria da Saúde de São Paulo e associada à Faculdade de Medicina da USP, o Hospital das Clínicas fica em um complexo de área total de 352 mil metros quadrados.

RUMO AOS R$ 125 MILHÕES

O ERP adotado pela instituição, o Soul MV, é o carro-chefe da MV Sistemas, empresa que foi fundada no Rio Grande do Sul e hoje tem matriz em Porto Alegre e sede no Recife.

Além disso, mantém fábricas de software em Passo Fundo e na capital pernambucana, e dez filiais pelo país.

Em 2011, a MV faturou R$ 100 milhões, crescimento de 20% sobre 2010. Este ano, a projeção é chegar R$ 125 milhões.

A companhia atende a mais de 500 clientes nos setores público e privado do Brasil e exterior.

Traduzido em usuários, este universo ultrapassa os 200 mil profissionais, totalizando um grupo de instituições cujo faturamento, somado, passa dos R$ 10 bilhões por ano.

A companhia tem investido no crescimento inorgânico. Em maio deste ano, comprou as empresas Microdata, Centercall e Micropacs, que compõem o Grupo Microdata, focado em software de gestão de imagens médicas.

Foi a segunda compra da MV este ano. Em janeiro, a companhia já havia adquirido o porto-alegrense Grupo Hospidata, focado em TI para gestão de pequenas instituições de saúde e composto por HDS Assessoria e Serviços, HD Processamento e Hospidata.

Se com a Hospidata a MV agregou à carteira cerca de 200 clientes de pequeno e médio porte, a aquisição recém anunciada da Microdata adiciona nomes de peso, como os hospitais gaúchos Mãe de Deus e Moinhos de Vento, além de Grupo Amil, Biocro e várias Unimeds.

Nas duas compras, o valor da operação não foi divulgado.

Segundo o presidente da MV, Paulo Magnus, a expectativa é que em dois anos só as soluções da Microdata representem 20% do faturamento geral.

“Nosso objetivo é prover sistemas de gestão para todos os nichos da área de saúde”, afirma o executivo.

QUE SAÚDE!

Uma aposta que se justifica: conforme a Ernst&Young, o setor de saúde deverá ter alta 9,19% no faturamento no Brasil este ano, chegando a para R$ 36,74 bilhões.

Veja também

SAÚDE
Hospital Samaritano cria sistema de segurança do paciente

Com investimento de R$ 2,5 milhões, o sistema traz uma configuração inédita no Brasil com maior tecnologia e automação

O Hospital Samaritano de São Paulo implantou um sistema que automatizou tarefas de armazenagem, distribuição e rastreamento de medicamentos de sua farmácia.

O projeto, de desenvolvimento interno, levou investimento de R$ 2,5 milhões.

MV cresce 20% e fecha 2011 com R$ 100 mi

A MV, especializada em sistemas de gestão de saúde, fechou 2011 com faturamento de R$ 100 milhões, crescimento de 20% em comparação ao ano anterior.

Em 2012, a companhia espera ampliar o resultado em 25%, totalizando R$ 125 milhões.

Para tanto, a estratégia se baseia em quatro pilares: gestão hospitalar, novos negócios, aquisições e internacionalização.

MENSAGEM DA SAÚDE
MV e Human: SMS para hospitais

Com o acordo, os hospitais que utilizam o Soul MV podem exportar seus dados para envio de SMS do software para a plataforma de envio da Human Mobile, que agora é a única do mercado compatível com o ERP.

MV adquire Grupo Hospidata

A MV, especializada em sistemas de gestão para saúde, adquiriu por valor não revelado as empresas Hospidata, HDS Assessoria e Serviços e HD Processamento, que compõem o porto-alegrense Grupo Hospidata.

A expectativa é que dentro de dois anos a solução da adquirida, que atende ao nicho de pequenas e médias instituições, represente 20% do faturamento da MV – que ainda não foi fechado para 2011, mas tem projeções em torno de R$ 126 milhões.

IBM e MV zeram papel no Hospital Felício Rocho

O Hospital Felício Rocho, de Belo Horizonte, adotou uma contrato com a IBM Brasil e MV Sistemas para adoção do prontuário eletrônico e eliminação de documentos em papel.

A meta é automatizar todos os processos, reduzindo a zero o uso de materiais como fichas de atendimento, de controle de pacientes e internações, entre outros.

No projeto, a IBM adequou a infraestrutura de TI da instituição de saúde para permitir a troca do ERP então em uso pelo da gaúcha MV.

MV automatiza gestão de 06 hospitais de PE

Seis hospitais públicos de Pernambuco adotaram o sistema da gaúcha MV para automatizar suas gestões.

O sistema, contratado por meio da Secretaria de Saúde de Pernambuco, será utilizado nos hospitais da Restauração (HR), Otávio de Freitas, Barão de Lucena, Agamenon Magalhães, Getúlio Vargas e Regional do Agreste.

MV automatiza saúde pública do TO

O ERP para saúde da porto-alegrense MV acaba de entrar em funcionamento, simultaneamente, em 17 hospitais públicos do Tocantins.

O projeto, que permitiu integrar as informações de todos os setores das instituições administradas no estado pela Organização Social Pró-Saúde, foi concluído em três meses e é pioneiro no país, segundo o secretário estadual de Saúde, Arnaldo Nunes.

Adventista gere saúde com MV em todo Brasil

A Rede Hospitalar Adventista adquiriu o software da gaúcha MV para administrar cinco hospitais no Rio de Janeiro, Pará, Amazonas, Mato Grosso e São Paulo, além de planos de saúde e clínicas que mantém em Curitiba e Porto Alegre.

AUDITORIA
E&Y de olho na saúde brasileira

Pesquisas indicam que o setor deverá ter alta 9,19% no faturamento neste ano, estimulado pela expansão de 2,22% no volume de vendas.

NA MIRA
Siemens, Phillips, Intel: SC atrai $$ para saúde

Siemens vai investir R$ 50 milhões em fábrica de Healthcare em Joinville. Intel investiu na Pixeon, de Florianópolis.  Philips comprou Wheb, de Blumenau. SC: que saúde!