Odebrecht e Ultra unidas em solução de pagamento eletrônico em pedágios. Foto: flickr.com/photos/N@7

Os grupos Odebrecht e Ultra, controladora dos postos Ipiranga, anunciaram a implantação de um novo serviço de pagamento eletrônico de pedágio, com um investimento de R$ 150 milhões.

Chamado de ConectCar, a iniciativa deve entrar em operação em fevereiro de 2013 em São Paulo, seguindo para Bahia, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul no mês seguinte. Até metade de 2013, o plano da empresa é abranger todo o país.

Com o novo serviço, a atenção da empresa se volta aos 90% da frota de veículos sem nenhum serviço de pagamento eletrônico e que utilizam ocasionalmente as rodovias, conforme destaca o Valor Econômico.

Para isso, a ConectCar elaborou uma estratégia de compra esporádica pelo usuário, sem a necessidade contratação de planos.

"A partir de pesquisas, chegamos à conclusão de que esse consumidor veria vantagem se usasse o sistema em postos de combustível", afirma João Cumerlato, ex-executivo da Odebrecht TransPort e atual diretor-superintendente da ConectCar.

Depois de analisar as possibilidades, as companhias chegaram à conclusão de que a rede Ipiranga deveria ser o parceiro estratégico.

Sem mensalidades, o ConectCar funciona como um sistema pré-pago, onde o cliente insere créditos na sua conta para pagar eletronicamente os pedágios.

Os créditos são carregados na rede da Ipiranga. A empresa também quer implantar até maio a possibilidade de inserir créditos via caixas eletrônicos e internet banking.

Além do pagamento de pedágios, os créditos também poderão ser utilizados em estacionamentos e em compras de combustível e outros produtos na rede de postos Ipiranga, rendendo 3% de desconto ao cliente.

A taxa de adesão ao serviço será de R$ 30, valor abaixo da média de outros planos pré-pagos. Para clientes do programa de fidelidade dos postos Ipiranga, a taxa cai para R$ 20.

Para a Ipiranga o negócio é uma oportunidade para oferecer mais serviços aos atuais clientes. Atualmente a rede conta com 6,3 mil postos em todo o país.

EXPANSÃO

A entrada de grandes grupos como a Odebrecht no mercado de rodovias está ligado ao crescimento acentuado da frota brasileira de automóveis, assim como o investimento do governo em novas rodovias.

Recentemento o governo federal anunciou a concessão de 7 mil km de estradas - o que aumentará o número de pedágios no país.

Programas do poder público, como a cobrança por quilômetro rodado (do governo de SP) e o Sistema de Identificação Automática de Veículos (Siniav, do governo federal) também são citados como oportunidades de crescimento.