Marcelo Tangioni, vice-presidente de Convergência Digital da Mastercard.

A Mastercard lançou no Brasil nseta quinta-feira, 28, o Masterpass, um serviço de carteira digital via Near Field Communication (NFC) que tem por objetivo popularizar o conceito de pagamentos móveis no país.

O produto é uma  plataforma de pagamento online que também roda em desktops, o que, na visão da empresa, é uma alternativa mais próxima do usuário médio do que um produto exclusivamente focada em smartphones ou tablets.

No entanto, a operadora de cartões também otimizou a tecnologia para pagamentos móveis sem contato direto entre dispositivos, em que usuários com o serviço podem pagar por NFC a vendedores credenciados.

Segundo o diretor de convergência digital e e-commerce da MasterCard, Marcelo Theodoro, as APIs estão disponíveis para comunicação por proximidade (NFC)

Conforme explica a empresa, o Brasil conta com cerca de 1 milhão de máquinas de cartão (POS) compatíveis com a tecnologia de proximidade de campo.

Para as transações NFC, as medidas de segurança ficam no SIMcard, sendo necessária a utilização do aplicativo.

No caso de um aparelho não possuir a tecnologia, como o iPhone, por exemplo, o sistema permite usar a criptografia oferecida no app ou outros formatos como stickers.

“Embora desenvolvemos ferramentas tanto para smartphones quanto para feature phones, observamos que o serviço só vai decolar no país se for atrelado ao PC”, explica Marcelo Tangioni, vice-presidente de Convergência Digital da Mastercard.

De acordo com Tangioni, a criação do Masterpass passou por “transformar a Mastercard em  uma empresa de tecnologia da informação, apesar de nosso carro-chefe ainda ser os produtos ligados aos cartões de débito e crédito”.

Diferentemente dos demais players, que lançaram serviços para o público considerado premium, o Masterpass chega ao mercado não como uma plataforma que vai decretar o fim das transações por meio dos cartões de plástico, mas como uma solução universal onde instituições financeiras e pessoas físicas não tenham restrições de equipamento.

“Fala-se muito em falta de cultura na classe C, mas esse hábito só será criado se não restringirmos o acesso à tecnologia. A base de usuários de smartphone é grande, mas não o suficiente para considerar que estamos em um mercado maduro", explicou Tangioni.

A estratégia da Mastercard consiste em lançar o Masterpass também como uma ferramenta de pagamento online que, principalmente, aproxima os bancos de varejo de usuários que ainda não são clientes. 

Dessa forma, explica Tangioni, a presença dos bancos vai ajudar a afastar os fantasmas da insegurança nas transações via internet.

"É um produto para qualquer perfil de usuário. Mas, com a presença dos bancos de varejo promovendo a plataforma, o usuário se sente mais seguro em ter uma carteira digital", explica Tangioni.

O executivo afirma que já possui um contrato com a Caixa Econômica Federal para rodar a plataforma de pagamento a partir de janeiro de 2014, e a entrada de outros bancos estão em negociação também para o próximo ano.

A carteira digital Masterpass permite que os consumidores usem qualquer cartão de pagamento para realizar compras online, em uma loja física ou qualquer outro lugar, independente da instituição financeira do portador do cartão.

"Adotando o Masterpass, o banco ou demais estabelecimentos comerciais podem estreitar as relações com potenciais clientes, já que para utilizá-lo não é necessário ser cliente de uma ou outra instituição financeira", completou o executivo.

O serviço foi lançado em fevereiro de 2013 durante o World Mobile Congress, realizado em Barcelona. Os primeiros países a utilizar o serviço foram Austrália, Canadá e Estados Unidos, por consituirem mercados mais maduros em e-commerce.

A partir de novembro, o serviço passará a ser oferecido também no Brasil, Belgica, França, Itália, Cingapura, Suécia e Espanha. Segundo a empresa, já são 20 mil os estabelecimentos que utilizam o serviço no mundo todo.