A Wappa aplicou uma redução de 20% nas tarifas. Foto: Pexels.

A Wappa acaba de anunciar medidas que parecem mostrar que a empresa não está disposta a jogar a toalha no mercado de aplicativos de transporte.

Frente a uma concorrência turbinada por aportes e fusões, a Wappa aplicou uma redução de 20% nas tarifas para o segmento de mobilidade urbana para pessoas físicas, segmento no qual atua desde agosto de 2018. Antes, a empresa focava apenas no setor de transporte corporativo. 

A Wappa enfrenta nesse mercado a força do Uber e os movimentos de 99 e Cabify para seguir crescendo no Brasil.

Enquanto a 99 foi adquirida pela chinesa Didi Chuxing em janeiro de 2018, o Cabify reforçou sua operação a partir de uma união com a Easy. Recentemente, o grupo espanhol Maxi Mobility, responsável pelo Cabify, recebeu um aporte de US$ 160 milhões para expandir a marca na América Latina.

A Wappa afirma que com a diminuição da taxa - composta por quilometragem e tempo - a empresa passa a oferecer as corridas “com os preços mais vantajosos do mercado”.

“Temos experiência e conhecimento acumulados de mais de uma década do mercado brasileiro. Sabemos da dimensão do mercado de carros particulares no Brasil e enxergamos como uma grande oportunidade para ganharmos uma boa participação nesta competição com a entrega de serviços e benefícios tanto aos usuários quanto aos motoristas”, afirma Armindo Mota Junior, CEO e fundador da Wappa.

A Wappa conta com uma frota credenciada de cerca de 30 mil motoristas. Atualmente, a empresa atende a clientes das cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

Enquanto isso, o Cabify está presente em sete cidades: Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Curitiba, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Santos e São Paulo.

Já o Uber atua em mais de 100 cidades no país, enquanto a 99 está presente em mais de 500.