Diego Rocha Ferreira, coordenador de desenvolvimento da Senior. Foto: Divulgação.

A Senior contratou Diego Rocha Ferreira como coordenador de desenvolvimento de uma nova área na companhia, chamada de software sob medida.

O profissional atou na Linx nos últimos dois anos, onde também foi coordenador de desenvolvimento. Ele também já cumpriu a função nas empresas GATI e Argus.

Ferreira tem MBA em gestão e liderança pela Sustentare Business School, de Joinville, e especialização em gestão de projetos de TI pela Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul).

Especializada em criar soluções para demandas específicas, a nova área da Senior desenvolve sistemas ou aplicativos para garantir mais inteligência e agilidade ao dia a dia das empresas. 

“Muitas vezes os clientes possuem necessidades que vão além do escopo e das regras de negócio que os sistemas se propõem a atender. Agora temos condições de atendê-los plenamente em todas as suas particularidades”, explica Evandro Mees dos Santos, diretor de Serviços da Senior.

Neste modelo, todas as etapas de desenvolvimento de software são realizadas junto com o cliente, desde o levantamento de necessidades e a especificação do sistema até a homologação e entrega final com os usuários-chave. 

Além disso, o cliente pode optar por manter um contrato que contemple a manutenção corretiva, preventiva, evolutiva e legal do software específico, bem como suporte e treinamento permanentes. 

Além de ampliar o portfólio de ofertas da Senior, a área de software sob medida incorporou a área de serviços customizados, responsável pela personalização dos sistemas da Senior nos clientes. 

“Esta nova área é uma evolução do que já fazíamos, com muito mais expertise e projetos direcionados ao pleno atendimento dos nossos clientes com soluções inovadoras e tecnologias de ponta”, detalha Santos.

A criação de uma área de desenvolvimento sob medida de software na Senior sinaliza a disposição da companhia em competir por clientes de maior porte, cujos projetos tipicamente requerem algum nível de customização.

A Senior fechou o ano passado com uma receita consolidada de R$ 224 milhões, uma alta de 16% frente ao ano anterior.

No período, a Senior registrou EBITDA de R$ 40,7 milhões (25% a mais do que o registrado em 2014).

O resultado ficou abaixo da meta de 25% projetada pela empresa, mas ainda assim é positivo se comparado com o benchmark das empresas brasileiras de software de gestão: a Totvs  fechou o ano passado com uma receita líquida de R$ 2,2 bilhões, uma alta de 3% frente aos resultados de 2014.