CMMI é o grande modelo de qualidade de software. Foto: Pexels.

A NTT Data Business Solutions, divisão de SAP da gigante japonesa NTT Data, certificou sua operação no Brasil com o nível 3 do selo de qualidade de desenvolvimento de software CMMI.

A certificação, obtida com consultoria da ISD Brasil, contempla as áreas de Software e Managed Services da empresa, que até pouco tempo atrás atuava com o nome FH e foi adquirida pela NTT em 2019.           

 

“A conquista dessa certificação em duas áreas estratégicas da NTT Data comprova o profissionalismo de nossa equipe na missão de auxiliar nossos clientes em sua jornada de transformação”, completa Sérgio Oliveira, diretor de unidade de negócios na NTT Data. 

A NTT é uma gigante japonesa de telecomunicações, com planos agressivos na área de tecnologia, na qual fez ao redor de 100 compras desde 2005, com uma meta de longo prazo de estar no top 5 de serviços de TI até 2025 (com um faturamento de US$ 21,3 bilhões, hoje a NTT já está no top 10).

A FH, com 250 clientes ativos, mais de 3 mil projetos realizados e 600 colaboradores, foi a primeira grande aquisição na área de SAP da NTT na América Latina.

Agora sob o nome NTT Data Business Solutions, a empresa tem planos de internacionalizar alguns dos seus softwares, emplacando projetos nos 30 países nos quais a NTT atua com tecnologias SAP, obtendo um faturamento de € 1 bilhão em 2020.

O CMMI é um certificado internacional que costuma contar pontos em contratação de desenvolvimento de software em licitações públicas ou em clientes de maior porte.

As notas variam entre 2, no nível mais básico, e 5, no máximo. No Brasil, a ISD foi uma das pioneiras no mercado, formando os primeiros avaliadores em 2000.

Em todo Brasil, apenas cerca de 40 organizações estão certificadas CMMI, a grande maioria delas no nível 2 do sistema. Meia dúzia de multinacionais detém o nível máximo e um grupo um pouco maior de empresas brasileiras o nível 3.

O pico do interesse em torno do tema CMMI no mercado brasileiro se deu entre 2004 e 2006, quando certificações de empresas eram notícia frequente.

Na época, o certificado era visto como um facilitador para muitas empresas desejosas de entrar no mercado internacional, mas o interesse foi caindo, tendo ficado em níveis baixos ao longo da última década, na medida em que o foco da atenção passou a ser agilidade e similares.

Nos últimos tempos, parece que muitas empresas estão tentando combinar os dois universos, tidos inicialmente como polos opostos.

No ano passado a Meta, uma companhia gaúcha que é parceira SAP e também tem uma operação de desenvolvimento de software, se certificou CMMI 3, combinando o método com sua própria prática ágil.