Divulgação, willia4/Flickr

O grupo RBS comprou uma participação minoritária na Wine, e-commerce especializado na venda direta de vinhos finos para consumidores.

Não foram revelados os valores e a participação exata negociada.

A Wine continuará a operar de forma independente, com a manutenção de seus sócios à frente do negócio.

Com 45 mil clientes ativos, a Wine passará a integrar a divisão de comércio eletrônico da holding digital do grupo RBS, que atua, ainda, em outros dois segmentos: mobilidade e mídia digital.

Há quatro anos o grupo RBS vem investindo em aquisições na área de negócios digitais.

Com o novo acordo, o portfólio da holding digital chega a oito companhias.

Nos últimos seis meses a unidade comprou participações na Predicta, consultoria de marketing digital; no F*Hits, site de venda de publicidade no segmento de moda; além de adquirir fatias da Aorta, desenvolvedora de aplicativos, e da Hand Mobile, de publicidade móvel.

Esses dois últimos acordos foram realizados por meio do Grupo.Mobi, que reúne sete empresas do setor de marketing para dispositivos móveis.

Ainda integram a holding os portais de entretenimento ObaOba e Guia da Semana, a agência de mídia digital Hi-Mídia e o portal de negócios Hagah.

Com sede em Vitória (ES) e distribuição em todo o Brasil, a Wine está no mercado desde 2008.

Além de uma loja no Facebook e da operação de comércio eletrônico, o site oferece um modelo de assinaturas, batizado de ClubeW.

A Wine tem uma taxa de crescimento anual de mais de 70%. A companhia possui mais de 2 mil rótulos de vinhos premium das principais vinícolas do mundo e conta com um modelo de assinatura, o ClubeW, com mais de 12 mil sócios ativos.

Em 2011, a empresa registrou receita de R$ 36 milhões e iniciou conversações com grupos de investidores estrangeiros, informa o jornal Valor Econômico.

Por ano, o brasileiro consome ainda apenas um litro de vinho fino, contra nove litros dos norte-americanos, que movimentaram US$ 32 bilhões no ano passado.

No Brasil, São Paulo concentra 34% do consumo, seguido por Rio de Janeiro (21%), Paraná (10%) e Rio Grande do Sul (10%).