André Busnardo, Chief Marketing Officer da Odata. Foto: Divulgação.

A Odata firmou um acordo com a Dedalus Prime para atender projetos que buscam utilizar cloud pública, mas que precisam também utilizar sistemas em ambiente tradicional. 

A oferta consiste em serviços, tecnologia e infraestrutura adequados para ambientes híbridos.

Com uma cloud services broker, a Dedalus Prime tem parcerias com AWS, Microsoft e Google para oferta de computação em nuvem. Já a Odata, empresa focada principalmente em colocation, está investindo em uma rede de data centers. 

A parceria tem como foco atrair empresas com ativos de hardware e sistemas de software ainda em uso, mas que desejam crescer ou evoluir na nuvem pública, ou ainda companhias que tenham ambientes incompatíveis com cloud pública, como servidores UNIX/RISC por exemplo.

"Esta parceria amplia a atuação da Dedalus Prime para atender a um maior número de empresas que não conseguem ‘virar a chave rapidamente’, mas desejam fazer uma migração programada para cloud computing", destaca o presidente da Dedalus Prime, Maurício Fernandes.

Ainda na opinião do executivo, os serviços gerenciados pela Dedalus Prime sobre os ambientes alocados na Odata oferece ao cliente a garantia de uma gestão única entre ambientes tradicionais e de nuvem. 

“Por outro lado, o posicionamento da Odata em colocation complementa nossa oferta de nuvem. Assim poderemos atender a projetos híbridos que requerem ambientes on-premise associados com as nuvens da AWS ou Microsoft Azure utilizando a mesma camada de serviços gerenciados”, completa Fernandes.

De acordo com André Busnardo, Chief Marketing Officer da Odata, muitos dos clientes da empresa têm um ambiente híbrido, com parte de seus sistemas em cloud pública e parte em colocation.

“Em colocation, oferecemos um ambiente protegido, seguro e escalável. A parceria com a Dedalus permite que esses clientes tenham os dois serviços de forma transparente”, analisa Busnardo.

A gestora de fundos Pátria Investimentos fundou a Odata para entrar no mercado de data centers em 2016. A empresa recebeu aporte inicial de R$ 200 milhões para construir um centro de dados na cidade de Santana de Parnaíba, no interior de São Paulo.

Em até cinco anos, a empresa planeja montar mais três centros de dados. A Odata ainda pretende adquirir companhias menores para estabelecer uma presença regional na América Latina.