William Nakasone, VP de Inovação e Desenvolvimento de Negócios para América Latina da Keyrus.

Profissionais da Keyrus, uma multinacional francesa especializada em software de análise de dados, vão ministrar um curso de pós-graduação em cientista de dados do Senai-SC em Florianópolis. 

Dividido em três módulos, a capacitação tem duração de 468 horas ao longo 14 meses, sendo que, no encerramento de cada módulo, será realizado um Hackathon com os 30 participantes em um desafio conectado diretamente com demandas reais.

“Data science é a inovação que deve ser estruturada de forma mais assertiva no dia a dia dos profissionais e, pensando nisso, trazemos em conjunto visões mais analíticas através de ferramentas para big data e data mining”, explica William Nakasone, VP de Inovação e Desenvolvimento de Negócios para América Latina da Keyrus.

Em um curso desse tipo, muitas vezes os alunos já estão empregados em organizações, o que deve abrir portas para a Keyrus no futuro.

Os franceses tem também portfólio de soluções de análise de dados onde já estão IBM, Microsoft, Oracle, SAP, SAS, Tableau e Qlik.

Em 2017, a empresa comprou a a paulista QConsulting, uma das maiores parceiras da Qlik no país, com 60 funcionários, um faturamento de R$ 10 milhões em 2016 e clientes como Ticket, Banco Original, Dia, JBS e Eurofarma.

A Keyrus faturou R$ 106 milhões no Brasil em 2017, um crescimento de 60% frente aos resultados de 2016.

Com o resultado, o Brasil se tornou o segundo mercado mais importante do Grupo Keyrus, presente em mais de 15 países, que faturou no ano passado € 257,4 milhões (próximo de R$ 1 bilhão), uma alta de 11,7%.