Rede quer turbinar e-commerce com Oracle. Foto: divulgação.

A TaQi quer dobrar o crescimento anual médio na sua loja virtual com a adoção de uma nova plataforma, a ATG, da Oracle. A expectativa é chegar a 300% de aumento no volume de negócios.

Hoje, segundo Germano Grings, diretor do Grupo Herval, do qual a marca TaQi faz parte, a taqi.com já é a loja com mais faturamento, entre as 70 do grupo.

“Com a nova loja devemos chegar a 20% do faturamento da rede TaQi apenas com a internet”, calcula o executivo.

POWERED BY ORACLE
O impulso por trás da estratégia é a ferramenta ATG, empresa norte-americana especializada em e-commerce fundada em 1991 e comprada pela Oracle em 2011 por US$ 1 bilhão – com prêmio de 46% sobre o valor da empresa na bolsa.

Na época da aquisição, a ATG informava ter mais de 1,2 mil clientes globais.

Segundo Grings, no Brasil, a TaQi.com é uma das poucas empresas que utilizam a tecnologia, voltada para uma interface mais inteligente com o usuário, aproximando do contato de uma loja física.

A plataforma traz ferramentas de personalização que serão exploradas a partir do desenvolvimento da unidade de comércio eletrônico, buscando focar o produto certo para cada cliente.

Para o diretor, são as melhores práticas de e-commerce do mundo.

“É mais ou menos assim: compra o fogão a lenha e já oferece a lenha junto”, brinca o presidente, que não revela os valores investidos na plataforma por questões de confidencialidade acordadas com a Oracle.

INCREMENTO EM PESSOAL
Hoje a área de e-commerce da TaQi tem mais de 50 pessoas trabalhando, desde a inteligência do site ao atendimento das ligações, em auxílio aos clientes quando o site não consegue dar uma solução.

Até o final do ano, o número de pessoas na operação deve chegar a 100.

Segundo o diretor, o centro de distribuição da empresa não passará por alterações, sendo capaz de suportar o crescimento previso.

O site está em atividade desde o dia 18 de junho. Grings, no entanto, prefere não fazer comparações com a versão anterior. “É cedo, estamos investindo na qualificação da ferramenta e em testes ainda, mas já estamos experimentando um retorno melhor”, limitasse a contar.

FORÇA NO E-COMMERCE
Atuando no e-commerce desde 2005, foi em 2010 que a TaQi encarou a sua loja virtual como uma unidade distinta do varejo físico.

Desde o ano passado, a empresa passou a investir forte na reestruturação do seu endereço eletrônico para a loja virtual tornar-se uma das principais unidades de todo o Grupo Herval, com o início do projeto ATG Oracle.

GAÚCHAS VÃO MÉDIO
Reforçar o e-commerce deve ser uma prioridade para as gaúchas.

Segundo levantamento da WBI Brasil, em parceria com a Serasa Experian, a lista de endereços mais populares do varejo online no Rio Grande do Sul não é liderada por empresas locais.

Na liderança, aparece a Americanas.com, com 13,57% da participação de visitas no estado, seguida pela Magazine Luiza, com 12,43%.

A primeira gaúcha aparece na terceira: é a Lojas Colombo, com 9,76%. Na sequência, WalMartBR (8,73%), Submarino (8,14%), Compra Fácil (8,06%), Ponto Frio (7,8%), Carrefour (4,31%) e Shoptime (3,75%). Na última colocação entre as 10 principais lojas de departamento aparece a gaúcha TaQi, com 3,04% de participação.

Em relação ao número absoluto de visitas, a Americanas também é líder, com uma estimativa de 21 milhões de acessos ao site da marca.

A gaúcha Colombo, nesse quesito, contabiliza 1,8 milhão de visitas e a Taqi, 310 mil.

Os dados sobre número de visitas correspondem ao mês de fevereiro de 2012 e foram coletados do Alexa e da ferramenta DoubleClick Ad Planner.

LOJA FÍSICA
Para subir no ranking, a Colombo abriu, em março, sua primeira loja física com vendas exclusivamente pela web, na cidade de Serafina Corrêa, a 215 km da capital Porto Alegre.

A unidade é uma aposta da empresa em sua frente de maior faturamento: atualmente, o e-commerce é responsável por 17% do total de negócios da varejista, segundo o diretor de Vendas César Siqueira Anderson.
 
O novo formato, segundo Anderson, garante o apoio de uma estrutura física e consultores especializados para incentivar o fechamento de negócios na web, canal em que a rede cresceu 39% em 2011 e 46% nos dois primeiros meses de 2012, em relação ao mesmo período do ano passado.

FERRAMENTA NÃO É TUDO
Na avaliação do Diretor Presidente da WBI Brasil, Paulo Kendzerski, a baixa representatividade de marcas gaúchas neste ranking demonstra que as empresas da região ainda têm muito a evoluir em se tratando de presença online.

Segundo ele, o estudo mostra que essas empresas ainda têm um excelente campo a explorar e, dessa forma, fazer frente à concorrência de marcas nacionais com grande entrada no mercado regional.

Mas ferramenta não basta.

“É preciso reforçar o investimento em publicidade online. As campanhas de links patrocinados, seja nos buscadores ou na rede de display, por exemplo, são uma excelente forma de ocupar terreno na web, com retorno garantido sobre o investimento feito”, opina Kendzerski.