Antigo Nacional dará lugar ao consulado americano de Porto Alegre. Foto: Reprodução/Google Maps.

O prazo para inauguração do consulado americano em Porto Alegre é de 2017. As obras da nova sede foram iniciadas em junho.

Esse será o quarto consulado dos EUA no país. Hoje, para conseguir um visto para o país norte-americano, as opções são Rio de Janeiro, Recife e São Paulo, além da Embaixada, em Brasília.

O prédio do futuro consulado de Porto Alegre fica na Avenida Assis Brasil, número 1.889, onde antes funcionava um supermercado Nacional, da rede Walmart. 

A construção de 8 mil metros quadrados tem um recuo adequado em relação à calçada, o que o protege de eventuais atentados terroristas. No futuro, as ruas ao redor do consulado terão restrição de estacionamento. 

O terreno terá muros altos e câmeras de segurança, e a guarda será feita por uma firma brasileira particular. No consulado de São Paulo, o trabalho é feito por fuzileiros navais americanos. 

“O plano de construir o consulado em Porto Alegre vem desde 2013, mas tivemos alguns atrasos em razão de burocracia nos Estados Unidos — não é apenas no Brasil que isso acontece”, descontraiu o cônsul-geral dos Estados Unidos em São Paulo, Dennis Hankins, em entrevista ao jornal Zero Hora.

A construção deve seguir até dezembro de 2016 ou janeiro de 2017. Depois, será iniciado o atendimento aos pedidos de novos vistos ou renovação, além da assistência a cidadãos americanos.

O encaminhamento de documentos e entrevistas para emigração aos EUA não poderá ser feito no consulado da Capital.

“Em São Paulo, atendemos 600 mil pedidos de visto por ano. Aqui, projetamos 100 mil por ano no início” relatou Hankins à Zero Hora.

Porto Alegre já tem um Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto (Casv), onde podem ser encaminhados pedidos de renovação de vistos. 

Ao simplificar a retirada de vistos no Rio Grande do Sul, os americanos pretendem aproveitar os voos diretos partindo de Porto Alegre para a América para estimular os embarques.

Hankins indica a unidade como alicerce para uma maior aproximação cultural entre o estado e os EUA, com maior fluxo de visitantes em ambos sentidos. 

Também há no Consulado um interesse de aproximação comercial, em razão da presença de multinacionais americanas no estado, como General Motors e Massey Ferguson, e de empresas gaúchas no território americano, como a Gerdau.