Um anúncio, uma lei de vida.

A Lei de Gerson segue mais forte que nunca: 620 mil brasileiros, alguns deles mortos, pediram e receberam o auxílio emergencial de R$ 600 do governo mesmo sem ter direito ao mesmo, causando o que pode vir a ser um prejuízo de R$ 1 bilhão para os cofres públicos.

A revelação foi do Fantástico deste domingo, 28, e vieram do primeiro relatório de acompanhamento de dados feito pelo Tribunal de Contas da União sobre ações de combate à Covid-19.

O benefício é destinado apenas para quem está enfrentando dificuldades financeiras durante a pandemia, mas o relatório mostra que até milionários receberam pagamentos no mês de abril, o primeiro de concessão do benefício.

Para preencher o cadastro do auxílio emergencial, basta fornecer dados pessoais como profissão, renda mensal e a conta para receber o dinheiro.

De acordo com o relatório, foram pagos R$ 35,8 bilhões para 50.228.253 milhões de beneficiários.

O número total, porém, inclui um grupo ainda não estimado de pessoas que receberam o benefício sem ter solicitado.

Também há muitos casos de quem quer levar vantagem em tudo, para lembrar o célebre comercial de cigarro com o jogador Gerson nos anos 70.

De acordo com o relatório, 235.572 empresários, que não são microempreendedores individuais, receberam o benefício irregularmente. 

Também foram pagos 15.850 auxílios para pessoas com renda acima do limite estabelecido pelo programa; que era de ter renda individual até R$ 522,50 ou renda mensal familiar até R$ 3.135. 

De acordo com o TCU, 17.084 mortos sacaram o dinheiro, o que parece ser um indício forte de fraude, uma vez que o aplicativo da Caixa não funciona no além.

LEI DE GERSON, A ORIGEM

Em 1976, a fabricante de cigarros J. Reynolds, proprietária da marca Vila Rica, fez um anúncio estrelando o meia-armador Gérson, jogador da seleção e campeão da Copa de 70.

O texto de Gérson dizia: ""Por que pagar mais caro se o Vila me dá tudo aquilo que eu quero de um bom cigarro? Gosto de levar vantagem em tudo, certo? Leve vantagem você também, leve Vila Rica!".

O anúncio deu origem à chamada Lei de Gérson, que descreve o que seria uma compulsão do brasileiro por obter vantagens pessoais à custa do desrespeito às regras de convívio.