Usina eólica de Palmas. Foto: divulgação.

A Copel e a Weg Equipamentos Elétricos criarão uma sociedade de propósito específico para ampliar a capacidade instalada do complexo eólico localizado em Palmas, no sul do Paraná.

A liberação do projeto foi aprovado pelo Cade nesta segunda-feira, 28, conforme publicação no Diário Oficial da União. Com a obra, o empreendimento terá a potência mais do que dobrada, de 2,5 megawatts para 6,7 megawatts.

O contrato prevê a instalação de dois aerogeradores com potência máxima de 2,1 MW cada. A Copel já conta com 2,5 MW instalados no parque (cinco aerogeradores de 500 kW), que é o primeiro parque eólico da região sul do país, fundado em 1999.

Mesmo sendo pioneiro, a capacidade do complexo em Palmas é pequena comparada com outros parques. Em Osório, no Rio Grande do Sul, a capacidade total instalada é de 150 MW, sendo que a produção efetiva média é aproximadamente 51 MW, capaz de abastecer uma cidade de 240 mil habitantes.

A parceria servirá para teste e certificação dos protótipos, com alto índice de componentes nacionais, e foi favorecida pela proximidade de Palmas e Jaraguá do Sul, sede da Weg, e pelo fato de o parque da Copel já contar com mapa de ventos dos últimos nove anos.

A sociedade será dividida em 87% de participação da Weg e 13% da Copel.

A implantação da Usina Eólica de Palmas II reafirma a proposta de expansão da Copel no setor de energias renováveis, conforme planejamento estratégico da empresa.

“É um empreendimento de grande importância para a expansão da Companhia nessa área e atende totalmente a nossa expectativa de atingir três gigawatts de energia eólica instalada até 2018”, afirma Lindolfo Zimmer, presidente da Copel.