BNDES vai investir mais em startups. Foto: Shutterstock.

O BNDES divulgou nesta sexta-feira, 29, o edital de chamada pública para a seleção do Criatec 3, fundo de capital semente destinado a micro e pequenas empresas com projetos de inovação.

O fundo, que tem um patrimônico comprometido de cerca de R$ 200 milhões e duração de dez anos, atenderá iniciativas nos setores de TIC, Biotecnologia, Novos Materiais, Nanotecnologia e Agronegócios. As propostas devem ser encaminhadas até o dia 29 de outubro de 2014.

O fundo apoiará empresas com receita líquida anual de no máximo R$ 12 milhões, no ano anterior à aprovação do investimento. O limite a ser aportado em cada empresa é de R$ 3 milhões.

De acordo com o edital, as companhias investidas poderão ter outras capitalizações do fundo. Os aportes adicionais podem chegar a R$ 4 milhões, totalizando investimentos de R$ 7 milhões por companhia.

Segundo o BNDES, o lançamento do Criatec 3 é resultado do bom desempenho dos outros dois fundos anteriores no fomento ao empreendedorismo e à inovação, com mecanismos de apoio às micro e pequenas empresas inovadoras em estágio nascente.

O primeiro fundo da série Criatec foi lançado em janeiro de 2007, com investimentos de R$ 100 milhões, divididos entre o BNDESPAR (R$ 80 milhões) e o Banco do Nordeste do Brasil (R$ 20 milhões).

De acordo com o banco estatal, as 36 empresas do Criatec 1 comercializaram 834 produtos em 2013 (alta de 14,4% em relação a 2012). Em 2013, foram lançados 26 novos produtos, que geraram um faturamento adicional de R$ 7,6 milhões, com exportações de R$ 6,8 milhões.

Lançado em dezembro de 2013, o Criatec 2 somou investimentos de R$ 186 milhões — R$ 123,7 milhões da BNDESPAR, R$ 30 milhões do BNB, R$ 10 milhões do BDMG, R$ 10 milhões do Banco de Brasília (BRB), R$ 10 milhões do Banco de Desenvolvimento do Rio Grande do Sul (Badesul) e R$ 2,3 milhões da gestora do Fundo, a Bozano Investimentos.