Alexandre Bichir, CEO da Mutant. Foto: Divulgação.

A gestora europeia de fundos de private equity Permira fará na Mutant seu primeiro investimento direto no Brasil. A empresa de software e serviços para call centers foi criada a partir da divisão da operação brasileira da americana Genesys, a Genesys Prime.

De acordo com o Valor Econômico, a separação ocorreu por meio de uma troca de ações que foi complementada com dinheiro da Permira, dos sócios da companhia brasileira e do fundo americano Technology Crossover Ventures.

A Permira tem € 25 bilhões sob sua gestão e, até agora, só tinha contato com o Brasil por participações em companhias estrangeiras com atuação aqui, como Informatica, Magento e Hugo Boss. 

A política da gestora é comprar o controle de empresas, mas sem participar da gestão dos negócios. Somando os recursos usados na compra de participação e o que será aplicado na operação da Mutant, o valor total dos investimentos chega a R$ 500 milhões.

Phil Guinand, da Permira, afirmou ao Valor que a empresa tem uma visão otimista do Brasil em médio e longo prazo. Segundo ele, o foco, no momento, será o crescimento da Mutant, mas o fundo continua observando outras oportunidades no mercado brasileiro.

A Permira tem cinco áreas principais de atuação: consumo, serviços financeiros, saúde, indústria e tecnologia. Desde 2011, o executivo João Cox, que já foi presidente da Claro, é o consultor da gestora para a América Latina.

A Genesys Prime surgiu no fim de 2012 com a aquisição da LM Sistemas pela Genesys. A operação foi anunciada poucos meses depois de a própria Genesys ter sido alvo de uma aquisição: a franco-americana Alcatel-Lucent vendeu a operação à Permira e à TCV por US$ 1,5 bilhão. 

De acordo com o executivo, a Genesys Prime manteve, nos últimos anos, uma atuação menos dependente da Genesys, vendendo os produtos da companhia, mas também de outros fornecedores. 

Com cerca de 50 clientes e 800 funcionários, a Mutant teve receita de R$ 160 milhões em 2015 e pretende chegar a R$ 200 milhões em 2016. A meta é multiplicar o montante por cinco em um período de três anos a cinco anos, afirma Guinand ao Valor. 

Para isso, a Mutant pretende ampliar sua presença dentro dos clientes com novos produtos e também comprar empresas menores. A companhia já tem conversas com três alvos potenciais.

Em termos de novos produtos, a Mutant, hoje focada no atendimento pós-venda, pretende investir na criação de sistemas de análise de dados. Para isso, está se aproximando de uma das investidas da Permira, a Informatica. Alguns dos concorrentes da Mutant são Avaya, Interactive Intelligence, Cisco, Plusoft, Neo Assist e CallFlex.

Com a separação dos negócios, a Genesys manterá sua operação no país. Em 2015, a companhia teve receita global de US$ 900 milhões.