Instituições de ensino poderão instalar equipamentos de reconhecimento facial com uma solução da Betha. Foto: Pexels.

A Betha Sistemas planeja iniciar em novembro um projeto piloto para uso de reconhecimento facial em substituição à tradicional chamada realizada em horário de aula. A tecnologia está em fase de desenvolvimento e deverá ser implantada inicialmente na rede municipal de educação de Penha, em Santa Catarina.

“Acompanharemos sua utilização e resultados até o fim do ano para fazer os ajustes necessários. No início de 2020, a novidade será liberada para os demais clientes”, detalha Daniel Camilo, coordenador de desenvolvimento da vertical de educação da Betha.

As instituições de ensino que utilizarem o reconhecimento facial terão a possibilidade de instalar os equipamentos na entrada da escola, nas portas da sala de aula ou, ainda, nos corredores, se optarem pelo reconhecimento passivo. 

“Esta será uma decisão do próprio município, conforme sua necessidade ou investimento. Cada entidade poderá cadastrar a quantidade de alunos que for preciso. Assim que passa pela frente do equipamento, em menos de um segundo o estudante é reconhecido e automaticamente a lista de presença é atualizada”, destaca o executivo.

Neste momento, o departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da empresa está investindo na aquisição de equipamentos e estudando a tecnologia para, posteriormente, iniciar a implantação. 

“Hoje as pesquisas estão concentradas na área de educação, mas a ideia é, em breve, aplicar a funcionalidade também em outras soluções e departamentos, como na saúde, arrecadação, pessoal e outros”, explica Bruno Bitencourt Luiz, arquiteto de sistemas.

Com a tecnologia nas escolas, a ideia é possibilitar a eliminação da chamada durante a aula e a preparação de merenda conforme a demanda. O transporte escolar também pode ser integrado à funcionalidade, com o objetivo de saber a quantidade correta de alunos que está na escola e utiliza o meio. Os pais poderão ser notificados caso o filho falte a aula.

O reconhecimento facial deverá entrar em funcionamento até o mês de novembro no município de Penha. A primeira instituição a receber a novidade será uma escola com aproximadamente 400 alunos que estudam em período integral, da educação infantil até o 9º ano do ensino fundamental. 

“São 10 aulas por dia. Dez vezes que os alunos deixarão de responder a chamada e que o professor não precisará postergar o início da lição para fazê-la. A mudança também auxiliará a rotina na secretaria escolar, já que será possível acompanhar de forma dinâmica e em tempo real a lista de presença”, conta Suselli Berenisse Anacleto, secretária de educação do município.

A Betha Sistemas tem 33 anos de mercado e está presente em todo o país por meio de sete filiais e 20 revendas. A empresa tem um portfólio de 40 soluções, voltadas principalmente para prefeituras, câmaras de vereadores e outros órgãos de administração municipal.