Se o mercado voltar a aquecer, a falta de profissionais será uma realidade. Foto: Pexels.

Existe um vácuo no mercado de trabalho SAP. E este vácuo é gerado por uma falha estrutural na formação da força de trabalho SAP.

Desde que eu intensifiquei as ações no projeto de carreira SAP #OMundoSAP tenho conversado muito com o ECOSSISTEMA SAP formado de profissionais SAP (usuários e consultores) clientes e parceiros e com pessoas da própria SAP.

Há uma semana eu comecei a compartilhar diariamente as vagas que eu vejo na minha timeline no Linkedin.

Existe uma característica comum a quase todas as vagas:

Sênior, Pleno, Sênior, Pleno, Sênior, Pleno, Pleno, Sênior, Sênior, Sênior, Sênior.

É difícil achar uma vaga para Júnior ou para aspirantes a carreira SAP como Trainee ou programas de formação.

PENSA COMIGO: SE NÃO ENTRAR GENTE COMO JÚNIOR NUNCA VAI TER PLENO E SÊNIOR.

Em virtude desse vácuo de senioridade qualquer aquecidinha no mercado dá um desespero nos recrutadores.

Imagina se o mercado voltasse ao patamar da empregabilidade de dez anos atrás?

Iria ter MUITA consultoria negando projeto por falta de gente. Hoje já existe isso com qualquer aquecidinha no mercado. Imagina aquecido como em 2008?

E o problema está se tornando ainda pior, pois A MIGRAÇÃO PARA O S/4HANA está batendo na nossa porta. 2025 está aí.

Quem é o culpado por essa situação? TODOS! Cada um tem a sua parcela de culpa, vamos lá.

PROFISSIONAIS SAP

Aqui dividimos quem está fora e está dentro do mercado de trabalho SAP. São realidades diferentes e cada um com a sua particularidade.

OS QUE ESTÃO FORA DO MERCADO DE TRABALHO SAP

Eu posso dividir novamente em dois grupos.

Primeiro os que não tem a mínima ideia do que é SAP (não sabem se SAP serve para comer ou para passar no cabelo).

Segundo os que conhecem um pouco o potencial do mercado de trabalho SAP.

NÃO TEM A MÍNIMA IDEIA DO QUE É SAP

A grande maioria dos profissionais não tem a mínima ideia do que é SAP.

Por isso, ignoram completamente o que é o mercado de trabalho SAP e qual o real potencial de empregabilidade que existe em se ter um S.A.P no currículo.

Quem trabalha com SAP vive em um mundo paralelo que é extremamente difícil de acessar para os demais.

PRATICAMENTE UMA BOLHA! E eu vivi nesta bolha por 11 anos e não tinha a real clareza do quanto é difícil para as outras pessoas do outro lado conseguirem enxergar e acessar esse mundo.

Eu posso exemplificar em uma única cena a jornada de um profissional para a carreira SAP.

Descreveria algo mais ou menos assim:

De um lado o profissional a beira de um penhasco;

Do outro lado do penhasco, distante, a carreira SAP;

E para a atravessar uma única corda onde o profissional se equilibra para chegar ao outro lado.

É como um praticamente de highline #SQN (aquela corda bamba transformada em esporte) só que pior, pois o praticamente de highline tem experiência em fazer o que faz, já que treinou muito a meio metro do chão. E como garantia ainda usa cinto de segurança.

Um profissional aspirante a carreira SAP não tem nada disso. Quem sabe, leva um guarda-chuva para ajudar no equilíbrio e olhe lá.

E como veio esta clareza? Eu estou interagindo de domingo a domingo em grupos Não SAP e SAP tanto no Linkedin quanto no Facebook.

Grupos Não SAP: Contabilidade, Fiscal, Administração, Engenharia de Produção, Compras, Vendas, Logística, Suprimentos, Fiscal, etc. Enfim, qualquer grupo que é ligado a uma área de negócios coberta pelo SAP.

Grupos SAP: São existencialmente grupos de vaga SAP. São vários os grupos que existem hoje. Neste grupo existem profissionais que já entraram no mercado e muita gente que fez academia SAP e não conseguiu alocação. Este grupo tem a esperança de aparecer uma vaga SAP para quem tem academia e não tem experiência.

Nos grupos Não SAP a grande maioria não tem ideia do que é SAP.

OS QUE CONHECEM UM POUCO DO POTENCIAL DO MERCADO DE TRABALHO SAP

Este é o grupo é mais “perigoso”, digo perigoso, pois é o que está mais cometendo erro durante a jornada, já que o primeiro grupo sequer iniciou a jornada.

Ignorar existência da SAP ainda não pode ser considerado um erro. Ou será que pode?

É cada história que me contam nas redes sociais a cada dia que não dá para acreditar em muitas delas, Só sei muita gente perdendo tempo e dinheiro dom estratégias erradas de entrada na carreira SAP.

Os dois principais erros são: tentar pular etapas e pensar no curto prazo.

Vejo pessoas pulando etapas e na vontade de entrar rápido na carreira SAP investem dinheiro em uma academia fora da hora: conheço a história de uma pessoa de Niterói me contou que gastou 15k em uma academia de SAP, mas não tinha formação universitária.

Sabemos que em startups formação estão sendo pouco exigido, mas no mercado tradicional ainda é item de checklist de recrutador. Não tem graduação não entra!

O Leonardo Ternes Santos, CEO da LTSConsulting, me contou outra história muito parecida com o nosso colega de Niterói.

O profissional torrou 21k em uma academia BASIS sem ter o conhecimento básico de banco de dados e sistemas operacionais. E é claro não conseguiu alocação.

OS QUE JÁ ESTÃO NO MERCADO SAP 

Quem já está no mercado também comete erros e o principal e achar que trabalhar com SAP é igual a carreira pública e acham que se tem estabilidade.

Você vende conhecimento! E o mercado quer comprar bons profissionais.

Se você deixa a sua formação e o seu autodesenvolvimento em segundo plano o mercado vai te cobrar ágio. E esse ágio você vai sentir no seu bolso

Hoje o mercado procura profissionais mais completos, alinhados com as novas estratégias e tecnologias da SAP. Quem ficar somente no “feijão com o arroz” afetando a sua empregabilidade que vai ser sentida no bolso.

Enquanto tem uns que reclamam, outros focam no que tem controle e se destacam no mercado.

PARCEIROS SAP

Aqui podemos elencar o parceiro de serviço e o parceiro de educação.

São poucos os parceiros exclusivos de licença e subscrição, mas eles não importam na análise, pois vender licença e subscrição não demanda mão de obra de consultoria.

PARCEIRO DE SERVIÇO

OS FORMADORES (MINORIA)

Na minha opinião é o que todos deveriam fazer. Formar gente, incentivar o seu colaborador a focar no seu autodesenvolvimento. Sempre!

Eu tive a sorte de ter trabalhado em empresas que se preocupavam com a formação do colaborador.

Normalmente as consultorias maiores têm programas de formação, mas são poucas que conseguem manter de forma recorrente ciclos de formação de novos profissionais SAP.

Normalmente começam no desespero porque está faltando profissional no mercado.

A empresa parceira SAP com característica de formadora sabe que um profissional dificilmente vai dar algum retorno com menos de 6 meses de casa. E isso é um custo para empresa que muitas vezes é cortado na primeira baixa de vendas de projetos.

Afinal mão de obra não se estoca. O consultor está lá ocupando baia, ganhando salário tendo projeto ou não.

Não vou dizer que é fácil manter esse fluxo de formação, Um processo de S&OP para serviço é algo bem complexo. Não é fácil, mas é necessário.

OS CONSUMIDORES (MAIORIA)

O parceiro consumidor é um dos maiores culpados por UBERIZAR o mercado SAP.

Ou seja, consome o mercado de trabalho procurando por consultores com taxas mais baixas. Em consequência com menores qualificações.

São poucas as consultorias consumidoras que mantém um corpo de consultores de qualidade.

E as que tem um corpo de consultores de qualidade por quanto tempo vão conseguir manter esse mesmo modelo de trabalho?

Por quanto tempo o mercado vai fornecer consultores plenos e sênior o suficiente para que consigam manter a qualidade e o seu preço premium?

Qualidade custa caro! E qualidade em quantidade mais ainda.

Ignorar a o tempo e o fluxo de formação de consultores limita o crescimento de qualquer empresa SAP.

Formação continuada, para mim, é essencial para qualquer parceiro SAP.

PARCEIRO DE EDUCAÇÃO

Cursos, cursos, cursos, cursos cursos, vender cursos é o que eu vejo.

O mercado de educação profissional é grande e dá muito dinheiro. Vide a própria SAP com o seu SAP Learning HUB.

Não achei um parceiro de educação nas minhas pesquisas que se preocupa com a carreira do profissional SAP.

Isso vale tanto para os parceiros oficiais e os não oficiais. “Empurrar” formação e vender curso mais novo na prateleira é o que importa.

CLIENTES SAP

OS MÉDIOS E PEQUENOS

Esses são reféns da situação atual.

É caro manter um profissional SAP dedicado para uma baixa demanda de trabalho.

Mesmo assim, especializar o seu time de key-users é importante e pode baratear a conta com as consultorias SAP.

Claro, cuide bem do seu key-user, pois se não cuidar vai perdê-lo para uma consultoria fácil, fácil.

Não especializar e ficar com ele para mim é muito pior. Um ótimo key-user com alguns conhecimentos de consultor é muito útil para qualquer cliente.

OS GRANDES

Tem grandes clientes SAP que tem mais consultores que muitas consultorias, mas confesso que em 11 anos não conheci um que tenha um programa explícito de formação de consultores.

Claro que muitos usuários e key-users migraram para TI e agora são consultores SAP. A famoso “santo de casa” e fazem milagres sim! Já conheci ótimos consultores que foram cria de clientes.

O que eu não vi foi algum processo estruturado para isso. Inclusive muitas vezes é uma prática não incentivada pela área de negócios, pois vão “perder” um profissional mão na massa para a TI.

Eu fiz o caminho ao contrário, fui da TI para a área de negócios, e tentar barrar o crescimento de um profissional dentro da empresa é um dos maiores fatores de desmotivação profissional. Se existe espaço para crescer deixa que cresçam e apareçam.

Se não puder crescer para dentro, vai crescer para fora, para o mercado.

Me veio, agora, o exemplo da HT Solutions do grupo Herval (cliente SAP).

O Grupo Herval se especializou tanto que tem uma consultoria própria que atende SAP e não SAP. 

Esse modelo é exceção e não regra. E eu também não sei o quão é fácil fazer a transição entre as empresas do grupo Herval.

A PRÓPRIA SAP

No Brasil a SAP ainda é desconhecida das multidões, não se foi estratégia de formar um grupo mais VIP ou não, mas realidade abaixo da linha do equador é muito diferente que na Alemanha.

Lembro que foi no PKOM (SAP PARTNER KICK OFF MEETING) de 2017 que a SAP apresentou o seu BRAND KIT para as massas.

Logo depois começamos a ver a marca SAP nos aeroportos, em revistas de grande circulação, na TV (na Globo News saia direto propaganda da SAP).

Uma tentativa de brigar com a TOTVS? Talvez, pois por muito tempo a TOTVS reinava sozinha na TV, agora até a Senior sistemas faz propaganda na Globo News.

Este ano a SAP subiu para a 16º lugar como marca mais valiosa do planeta. O quanto ser 16º marca mais valiosa do mundo vai trazer mais profissionais para o mercado SAP e para a carreira SAP?

Se a SAP não é vista como opção deste público o problema de falta de plenos e sênior no mercado vai continuar. Se não entrar júnior não terá pleno e sêniors.

PARA QUEM JÁ ESTÁ NA CARREIRA SAP

A SAP tem programas para incentivar a formação de gente, principalmente para quem já está dentro da carreira SAP.

A quantidade de informação e conteúdo que a SAP e a comunidade SAP gera é absurdo. Para quem já está na carreira SAP tem como se esbaldar de tanto conteúdo.

As iniciativas de formação são principalmente nos parceiros. Eu mesmo participei do SAP Sales Academy, agora mesmo está tendo outra formação para prospecção de novos clientes. A área de vendas e bem movimentada na SAP, pois sem vender uma empresa não se mantém.

Já para a área de consultoria existe uma terceirização da formação junto as empresas parceiras. Para garantir a qualidade a empresa parceira precisa estar autorizada para vender e implantar um produto. 

As parceiras só conseguem esta autorização se tiver o mínimo de profissionais com capacidade técnica para implementar, fazer a pré-venda e vender a solução. Sem isto, sem autorização da SAP.

Os selos de excelência como o SAP Recognized expertise também exigem do parceiro um mínimo de consultores certificados.

Enfim, para ficar compliance com as exigências da SAP tem que seguir a sua cartilha.

CONCLUSÃO

O que eu estou buscando com o projeto #OMundoSAP é criar uma forma de selecionar as pessoas corretas, atrair para o mercado de trabalho SAP. Bebendo na fonte da área de negócios e de tecnologia. Mapeando e ajudando os aspirantes a criar uma estratégia para a sua carreira SAP. Sempre com o foco e mindset de autodesenvolvimento.

E no futuro ter um fluxo contínuo de formação de consultores SAP. Onde a pessoa vai estar onde tem que estar de acordo com a sua determinação empenho e esforço.

* Ulisses Pereira é fundador do #OMundoSAP, um projeto com foco em carreira SAP para os que desejam entrar neste mercado.