Santiago Valbuena, ex-presidente da Telefônica na América Latina, comprou fatia da Invest Tech. Foto: Divulgação.

A Tesalia, empresa de investimentos fundada pelo espanhol Santiago Valbuena, ex-presidente da Telefônica para a América Latina, é a nova sócia da gestora de fundos Invest Tech

Cinco meses após sua saída da operadora, o executivo comprou uma participação de 30% na gestora, segundo o Valor Econômico.

A entrada da Tessalia aconteceu a partir de uma reorganização societária da Invest Tech. Os fundadores da gestora, Maurício Lima e Miguel Perrotti tiveram sua participação diluída para 30%. A fatia de 10% restante do capital será usada dentro de um programa de incentivo aos executivos da organização. 

A reorganização também tem relação com os planos de Perrotti de se mudar para os Estados Unidos para atuar em outros projetos. 

Hoje, a Invest Tech tem R$ 240 milhões de ativos sob gestão, divididos em dois fundos. 

O portfólio da empresa conta com empresas de segurança da informação (Aker), mobilidade (Navita), e-commerce (Brasil/CT), infraestrutura de tecnologia (Quality Software), gestão de pessoas (Ahgora Sistemas) e gestão de obras (e-Construmarket).

Os aportes da gestora variam de R$ 15 milhões a R$ 50 milhões e são focados em empresas que atuam principalmente no segmento business-to-business (B2B), com receita entre R$ 300 milhões e R$ 400 milhões.

Lima explicou ao Valor que a chegada de Valbuena ajudará a internacionalizar a lista de investidores da gestora, aproveitando os contatos que o executivo tem na Europa. A ideia é criar uma ponte para que as empresas investidas gerem negócios fora do Brasil e também captar recursos para novos investimentos.

O primeiro resultado da reformulação deve ser visto em 2017, com o lançamento do terceiro fundo da Invest Tech, o Capital Tech III. De acordo com Lima, serão R$ 400 milhões para investimento, com foco em áreas relacionadas à experiência de Valbuena.

Até o fim do ano, a Invest Tech também pretende lançar um novo fundo para investimento em startups - com receita de até R$ 16 milhões. A ideia é que o Capital Tech VC tenha R$ 80 milhões para aportes. 

Por enquanto, já foram captados R$ 30 milhões. Os aportes nas empresas poderão variar entre R$ 1 milhão e R$ 7 milhões.