SAÚDE

DB Diagnósticos migra para Google Cloud

29/10/2021 10:30

A paranaense especializada em apoio laboratorial está investindo R$ 40 milhões em tecnologia.

Arthur Brugnari, gerente corporativo de TI do DB Diagnósticos. Foto: divulgação.

Tamanho da fonte: -A+A

O DB Diagnósticos, paranaense especializado em análises clínicas, migrou sua infraestrutura de TI para a nuvem da Google, como parte de um investimento de R$ 40 milhões na renovação do seu setor de tecnologia.

Há cerca de um ano, a empresa começou a mover para a cloud toda a sua infraestrutura de servidores e datacenters distribuídos, em projeto realizado diretamente com a americana.

A última fase dessa virada aconteceu em maio de 2021 e, hoje, a companhia trabalha 100% em nuvem.

“Isso abre várias outras possibilidades. Quando eu falo em IoT ou inteligência artificial, toda essa parte que envolve fortemente dados, eu consigo me sair muito melhor já estando com todos esses meus sistemas na nuvem”, explica Arthur Brugnari, gerente corporativo de TI do DB.

Com a tecnologia de Internet das Coisas (IoT), por exemplo, o laboratório está implantando um projeto para centralizar, em tempo real, as medições e os indicadores de cada um dos cerca de 550 equipamentos que realizam exames em suas seis unidades.

A companhia criou uma espécie de leitor de sensores com todos os dados dos equipamentos, que são coletados, normatizados e jogados para uma base única no BigQuery, data warehouse da Google.

Duas das unidades já estão com o projeto implantado e todas as outras devem receber a tecnologia em cerca de seis meses.

Outro projeto realizado com a gigante americana, que também deve levar cerca de seis meses para ser concluído, é relacionado à leitura de exames de sangue. 

Ele consiste na digitalização das lâminas dos exames para possibilitar que os patologistas, espalhados por todo Brasil, consigam fazer os laudos a distância.

A partir do momento em que a empresa tiver uma grande base de dados desse banco de exames, a ideia é aplicar inteligência artificial para ter diagnósticos mais rápidos e não depender somente do patologista — que vai apenas confirmar as informações.

Já no guia de exame do DB, a inteligência artificial está sendo embarcada na busca cognitiva, para que o cliente possa conversar por voz em um linguagem natural em vez de fazer a pesquisa tradicional.

Esses projetos desenvolvidos com a Google vão na linha de utilizar componentes e serviços da plataforma, enquanto o front end geralmente é desenvolvido internamente pela equipe do DB, que chega a 80 pessoas entre desenvolvimento e infraestrutura.

“A gente tem um relacionamento muito forte com o Google na criação de novos produtos, então uma parte desse investimento também vai para isso. Além da infraestrutura que usamos deles, também temos times trabalhando juntos com foco na linha de produtos digitais”, conta Brugnari.

A empresa americana está, inclusive, apoiando o time do DB em uma nova área que o laboratório começou a estruturar, no modelo de trabalho com squads multidisciplinares.

“O Google vem com uma bagagem muito grande de metodologia, de aculturamento. Então é esse jeito de trabalho, como eles fazem, que a gente está tentando embutir aqui dentro da cultura do DB”, revela o gerente.

Outros projetos que estão incluídos nos investimentos da companhia envolvem a substituição tanto do ERP quanto do CRM, que hoje são ferramentas desenvolvidas internamente.

A migração do ERP, que será para o sistema da SAP, está quase em fase de kick off, mas ainda não tem consultoria definida. O processo começou há cerca de três meses e tem previsão para “virar” no primeiro semestre do ano que vem.

“Ir para um modelo de SAP em cloud vai possibilitar que todo o core administrativo e financeiro do DB esteja em uma plataforma super robusta, então queremos deixar isso muito bem estruturado para todas as outras camadas que a gente precisa ir conectando em cima do SAP”, salienta Brugnari.

Já o projeto do CRM ainda está em definição do player, mas a perspectiva é ter o go live no primeiro semestre de 2022. Para ter uma visão 360º do cliente, a mudança deve abranger toda a parte de força de vendas, relacionamento, marketing e atendimento.

“A maioria dessas entregas estão bastante focadas para o primeiro semestre do ano que vem. Ano passado foi difícil para todo mundo, muita coisa ficou congelada e esse ano voltou com tudo”, explica o executivo.

Segundo Brugnari, o foco e o investimento em cima dessa parte de digital está sendo muito pesado e isso só tende a avançar cada vez mais. Com isso, o seu objetivo é buscar mais investimentos ainda.

Fundado em 2011, o DB Diagnósticos tem sede em São José dos Pinhais, Paraná, e atua exclusivamente no mercado B2B, com três unidades especializadas e três unidades descentralizadas. Para este ano, o objetivo é atingir 40% de crescimento e atender mais de 6 mil clientes em todo o Brasil.

Veja também

NUVEM
Orizon migra para Azure

Iniciado em 2020, projeto da Blueshift entra na quarta etapa de cinco previstas.

INFRA
Fundação Unisul migra para nuvem da Oracle

A instituição está se separando da universidade, que passa a ser administrada pela Ânima Educação.

BUNKER
Oracle: data center a prova de míssel em Israel

Novo centro de dados está a 50 metros de profundidade e aguenta um impacto direto.

ROBÔS
UISA faz RPA com AutomationEdge

Produtora de etanol e açúcar entrega mais um projeto de tecnologia.

ESTRATÉGIA
Toda grande empresa quer a sua Tech

 Mas será que sabem mesmo o que desejam?

DIVERSIDADE
Executiva processa SAP por discriminação

Processo é um arranhão nos esforços de diversidade da gigante de software.