Rapaz encheu uma parede toda de posts its.

Todo mundo sabe que o caminho para uma empresa bem sucedida é pavimentado por milhares de posts-its amarelos colados em paredes, de preferência durante uma série de reuniões de design thinking.

A novidade é que os famosos papeizinhos amarelos também abrem as portas do vestibular.

Pelo menos, é o que mostra o G1, com uma matéria sobre Gabriel Mattucci, um jovem de 17 anos que passou duas vezes na Medicina da USP, o curso mais concorrido da instituição, uma vez no campus de São Paulo e outra vez no de Bauru.

Detalhe: Gabriel estudou sozinho em casa, armado de dezenas de notas adesivas coloridas, coladas uma ao lado da outra na parede do seu quarto em Sorocaba, no interior paulista.

“Não usei caderno, porque sabia que não voltaria a ler aquelas anotações. Preferia resumir o que tinha de principal nesses papeizinhos. A cada bimestre, eu descolava da parede e colava outros”, contou Gabriel ao G1. “O principal não era ficar escrevendo muito sobre a teoria, e sim fazer exercícios”, agrega o jovem.

O rapaz foi metódico sobre fazer exercícios: ele fez todas as questões da prova de história da Fuvest desde 1977.