Cemig investe em solução do SAS. Foto: divulgação.

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) adotou soluções de analytics do SAS para evitar fraudes e reduzir custos relacionados a ligações irregulares em sua rede de energia.

Para isso a empresa implementou no ano passado o SAS Enterprise Miner, aumentando a precisão na localização de desvios de energia e falhas técnicas em seus medidores espalhados pela região metropolitana de Belo Horizonte.

Segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), fraudes relacionadas ao consumo de energia elétrica representam perdas estimadas em R$ 4,5 bilhões por ano.

Com a solução, a empresa atualmente economiza cerca de R$1,5 milhão por mês ao detectar mais de 50% dos fraudadores a partir da modelagem estatística.

Conforme explica o engenheiro de planejamento Iguatinan Monteiro, da Cemig, o processo realiza o cruzamento de informações sobre o histórico de consumo, características sócio-demográficas e potencial geográfico de cada domicílio. 

“Antes da utilização do Miner, conseguíamos localizar apenas 35% dos fraudadores durante a inspeção”, afirma Monteiro.

Depois de cruzar todos os dados, a tecnologia do SAS gera uma pontuação referente à probabilidade de um domicílio ser um potencial fraudador. 

“Quando o técnico faz a visita, ele já sabe antecipadamente qual instalação tem maior chance de acontecer falhas e desvios. Assim, conseguimos também identificar as unidades consumidoras com maior volume de desvio, aqueles que causam prejuízos significativos para a empresa e para o consumidor final’, destaca o engenheiro da Cemig.

Uma das principais concessionárias de energia elétrica do Brasil, a Cemig responde por 96% da área de concessão em Minas Gerais, com mais de 7,5 milhões de consumidores, em 774 municípios. 

A estatal é a maior fornecedora de energia para clientes livres do país, com 25% do mercado, e um dos maiores grupos geradores, responsável pela operação de 70 usinas, com capacidade instalada de 7.295 megawatts.

Embora não divulgue dados nacionais de faturamento, o SAS teve em 2014 uma receita de US$ 3,09 bilhões, aumento de 2,3% em relação a 2013, com um crescimento acentuado na região da Ásia/Pacífico e também nas Américas. 

Serviços financeiros, governo, seguros, comunicação, manufatura, varejo, saúde e ciências biológicas continuam representando a maior proporção da receita.