Cleber Prodanov. Foto: Divulgação, Caco Argemi/Palácio Piratini

Os parques tecnológicos do Rio Grande do Sul estão ganhando mais R$ 4 milhões do governo gaúcho.

Serão cinco parques beneficiados – Oceantec (R$ 931 mil), Tecnopuc (R$ 1 milhão), Tecno-unisc (R$ 624 mil), UCS (R$ 530 mil) e UPF (R$ 924 mil).

OCEANTEC
Projeto de R$ 4,7 milhões, o Oceantec recebe o primeiro aporte do governo do estado. Situado em Rio Grande, o parque mira nos produtos voltados para a indústria do petróleo, especialmente em função dos investimentos bilionários da Petrobras na região.

Com a instituição do parque serão criadas empresas da região com foco no mar e condições locais para o desenvolvimento econômico, social e tecnológico sustentável.

TECNOPUC
Já o Tecnopuc recebeu R$ 1 milhão para a execução do projeto Global Tecnopuc – um prédio que se destinará a projetos temporários e estratégicos de empresas e entidades empresariais e profissionais do Parque.

O complexo abriga, atualmente, 66 organizações, sendo 48 empresas, oito entidades e dez estruturas de pesquisa que, juntas, somam mais de 3,5 mil postos de trabalho. O  projeto exigirá R$ 2.064.065, sendo R$ 1.558.902,00 apoiados pela SCIT, dos quais R$ 558.902,00 mil já foram pagos.

TECNO-UNISC
Em Santa Cruz do Sul, o empreendimento investirá os R$ 624 mil no desenvolvimento de produtos e processos oleoquímicos e biotecnológicos.

Segundo a SCIT, o recurso será utilizado na constituição do Centro de Excelência em Produtos e Processos Oleoquímicos e Biotecnológicos, buscando atender necessidades de empresas sediadas no parque e atendendo particularidades econômicas da região.

O valor total do projeto é de R$ 1.599.022,02, sendo R$ 1.124.729,22 apoiados pela SCIT, dos quais R$ 500 mil já foram pagos.

VALE DO CAÍ
O Parque Científico e Tecnológico do Vale do Caí (UCS), localizado em Bom Princípio, investirá na adequação de espaço físico para instalação do laboratório de Tecnologia Cerâmica e para o desenvolvimento de pavimento cerâmico não esmaltado e telha cerâmica extrudada.

O projeto necessitará de R$1.450.708,41, sendo R$1.030.286,41 apoiados pela SCIT (R$ 500 mil já pagos).

Na UPF, o projeto para implantação do Habitat de Inovação e Transferência Tecnológica do Parque Científico e Tecnológico do Planalto Médio (UPF), de Passo Fundo, permitirá a instalação de espaços para incubação, de um Núcleo de Inovação e Transferência Tecnológica (NIT).

O valor total do projeto é de R$ 1.240.638,50, sendo R$ 924.577,63 apoiados pela SCIT.

PARQUES GAÚCHOS
No total, o Rio Grande do Sul tem 15 parques tecnológicos credenciados, sendo três deles consolidados.

"Os parques oportunizam não só que as empresas transformem pesquisa em produto, mas também se cria um ciclo importante que aproxima os centros de conhecimentodo setor produtivo (empresas em geral)", diz o secretário Cleber Prodanov.

Essa não é a primeira liberação de recurso do ano para os parques. Em 11 de abril, R$ 29 milhões foram liberados para as instituições, com recursos do BIRD e do governo.

DENTRO DA META
Até 2014 a meta é investir R$ 48 milhões no setor, com recursos do BNDES, BIRD e recursos próprios do tesouro do governo estadual. No ano passado, R$ 15,5 milhões já foram investidos, em dois editais. Parques como o Valetec e os da Unisinos e da PUCRS já receberam recursos em 2011.

MAIS DE R$ 30 MI DESDE 2009
Outros R$ 6 milhões foram investidos um ano antes, em instalações como Tecnosinos, Tecnopuc, Valetec, Unisc, URI e UCS, deixando de fora o projeto da Universidade Federal Gaúcha (Ufrgs).

No final de 2009 foram liberados outros R$ 10 milhões, destinados ao longo de 2010, para o PGTec.

PRODANOV
Os valores também somam para a meta de R$ 400 milhões que o secretário Prodanov instituiu na pasta.

Somente no ano passado, em edital conjunto com a Capes, a Fapergs, que está sob os cuidados da Secretaria de Ciência Inovação e Tecnologia gaúcha, foram R$ 153,8 milhões em bolsas de pesquisa e qualificação de professores do Rio Grande do Sul.