Terry Myerson. Foto: divulgação.

A Microsoft anunciou mudanças significativas para marcar seu mais recente sistema operacional, o Windows 10, com foco ampliado nos dispositivos móveis. Entre eles estão a possibilidade de rodar o sistema operacional de um smartphone em um desktop, assim como emular apps de Android e iOS em sua plataforma.

No keynote de abertura de seu evento Build 2015, a companhia apresentou o Continuum, aplicação capaz de conectar o smartphone a telas maiores e ativando algo como um "modo PC" para o smartphone.

A aplicação foi demonstrada pelo VP de Sistemas Operacionais da Microsoft, Joe Belfiore, que rodou o Excel de seu smartphone conectado a um telão no palco. Além disso, ele mostrou que conteúdos de apps baseados em mobile podem ser migrados de forma simples para apps de desktop.

Segundo analistas, esta é uma evolução do que a Microsoft já havia sugerido em seus sistemas operacionais para tablets, mas esta nova etapa com smartphones pode ampliar ainda mais o potencial da empresa de Redmond em ganhar tração no mercado mobile, assim como sua iniciativa para vender mais apps de forma universal.

"A companhia está dando a desenvolvedores ferramentas para criar softwares que rodam em PC, tablets, híbridos, smartphones e Xbox. Apps podem se adptar automaticamente ao tamanho da tela e o Continuum para telefones é uma mostra disso", afirmou Tom Warren, do The Verge.

De acordo com Belfiore, basicamente a ideia é que o Windows 10 seja um único sistema operacional englobando todos os dispositivos possíveis, móveis e fixos, e o telefone pode ser o ponto de partida de tudo, ao contrário de apenas um ponto de saída.

"O que queremos mostrar aqui é nossa visão única para telefones e a capacidade de escalar ele para uma experiência completa semelhante à de um PC", finalizou o executivo da Microsoft.

Outro ponto importante sobre a estratégia da Microsoft para o Windows 10 em plataformas mobile foi a da abertura para apps de outras plataformas. Para isso, a empresa tomou providências para facilitar aos desenvolvedores a migração de seus apps em outros códigos para o W10.

Para isso, a companhia revelou o lançamento de novos kits de desenvolvimento, ativando Java e C++ no Windows 10, e para os desenvolvedores de iOS, a companhia pretende aproveitar codificaçao em Objective C. 

Trocando em miúdos, o plano da Microsoft é quebrar uma barreira que inibia muitos desenvolvedores de levar suas aplicações aos dispositivos móveis da MS:  ter que reescrever toda a aplicação, algo que não compensava muito devido ao número inferior da base de usuários em relação ao Android e iOS.

A proposta da Microsoft, embora simples no papel, promete ser um tanto complicada. Inicialmente, o plano é trazer aplicações de forma simples, com poucas modificações ou otimizações integradas com a plataforma móvel da empresa como Cortana, Xbox Live, entre outras. Em seguida, o plano é criar ferramentas para incrementar estes softwares.

O plano de migração simplificada de softwares entre diferentes sistemas e plataformas também se relaciona com o plano do Continuum, no que se refere a aplicações de Win32, usadas no Windows 7 e 8.

"Nós queremos que os desenvolvedores usem seus códigos existentes e habilidades para trazer estas aplicações para a loja do Windows e construir em cima destas aplicações", afirmou Terry Myerson, VP Executivo de Sistemas Operacionais da Microsoft.

De acordo com especialistas de mercado, estas manobras são um esforço importante para a Microsoft trazer os desenvolvedores de apps e softwares de volta para seu campo. O plano da empresa é levar o Windows 10 para mais de 1 bilhão de dispositivos nos próximos dois anos.

"É um grande objetivo, e a empresa precisa do apoio dos desenvolvedores e apps para chegar nesta meta", afirmou Myerson.

Ainda sem data fixa de lançamento, o Windows 10 é esperado para o último trimestre de 2015.