Novo centro será, localizado em Salvador, mesma cidade no Senai Cimatec. Foto: divulgação.

A Atos, integradora de TI e gigante de outsourcing francesa, e o Senai Cimatec, instituição localizada em Salvador, anunciaram o lançamento, para a próxima quarta-feira, 5, de um centro de excelência em computação quântica dedicado ao setor empresarial.

Localizado na capital baiana, o chamado Latin America Quantum Computer Center (LAQCC) será o primeiro do gênero no Brasil e foi criado para fomentar a divulgação desse tipo de tecnologia no país, assim como impulsionar a capacitação de mão de obra e incentivar pesquisas científicas em áreas como química e biologia.

No LAQCC, deverão ser realizados estudos de impacto, roadmaps tecnológicos, investigações de algoritmos e projetos de pesquisa aplicada.

“Juntos, ajudamos a posicionar o Brasil como uma das nações com poder em supercomputação. Agora, demos um passo importante para impulsionar a computação quântica no mercado brasileiro”, destaca Nelson Campelo, CEO da Atos na América do Sul.

De acordo com a empresa, a aplicação da computação quântica está sendo cada vez mais requisitada e, com soluções nesse sentido, pesquisas dos mais diversos segmentos serão aceleradas e se tornarão mais assertivas.

Esse avanço é possível por conta da integração entre a tecnologia quântica e os supercomputadores, máquinas de alto desempenho ( HPC, na sigla em inglês), e beneficia áreas que lidam com grande volume de dados — como medicina, meteorologia, geologia, física e óleo e gás.

Segundo Luis Casuscelli, diretor de big data e security da Atos, a demanda por maior desempenho tem atingido os limites da TI convencional. Por isso, as leis da mecânica quântica estão abrindo novos horizontes na computação clássica.

A computação quântica processa informações em bits quânticos. Ou seja, os qubits não têm superposição de valores, podem ter dois valores ao mesmo tempo. Esse mecanismo, aliado à possibilidade de fisicamente relacionar os qubits, permite processar dados de forma paralela muito mais rápido do que a computação disponível na TI convencional.

“Por isso, nossa expectativa é que, em um período de até cinco anos, essas soluções se tornem mais acessíveis e, com isso, desempenhem um papel maior nas indústrias. É fundamental já estarmos preparados para essa disrupção”, explica Casuscelli.

Para complementar a inauguração do centro, as organizações também anunciaram o lançamento do Quantum Learning Machine (QLM), simulador que permite a criação de algoritmos quânticos de grande capacidade, agnóstico às implementações reais.

Batizado de Cimatec Kuatomuo, o simulador será utilizado no desenvolvimento de pesquisas e, assim como o centro, ficará em Salvador.

O Senai Cimatec integra centro tecnológico, centro universitário e escola técnica em uma infraestrutura que comporta 42 áreas de competência e 56 laboratórios, distribuídos nos 35 mil m² da sua sede.

A instituição possui mais de 130 patentes e outros ativos de propriedade intelectual registrados. Sua infraestrutura também abrange o Cimatec Park, um complexo tecnológico e industrial com área de 4 milhões de metros quadrados.

Já a Atos é uma gigante de TI com 105 mil funcionários em 73 países e receita anual de € 12 bilhões. Presente no Brasil há 30 anos, a companhia tem operações em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Londrina.