João Francisco dos Santos. Foto: divulgação.

A catarinense Cianet, tradicionalmente conhecida como fabricante de equipamentos para banda larga, se reformulou, ampliou o portfólio com ofertas triple-play (dados, TV e telefonia) e agora se reforça como provedor de soluções para chegar a 2015 com faturamento de R$ 60 milhões.

A mudança começou em 2009, quando o Criatec, fundo do BNDES e Banco do Nordeste assumiu uma participação não revelada no negócio, exigindo ampliação da governança, o que culminou na reestruturação de diretorias e resultou em crescimento de 200% em dois anos, fechando 2011 com faturamento de R$ 14 milhões.

“Nossa carteira de cerca de 5 mil clientes é formada por provedores de Internet e operadoras de Telecom. Agora, vamos focar também o mercado corporativo com soluções triple play", comenta João Francisco dos Santos, que assumiu como CEO da Cianet em 2010, na base do plano de governança.

Segundo ele, um grande contrato já está em vias de fechamento na área de óleo e gás.

Catarinense, o executivo veio de 30 anos de atuação na Telecom, com passagens por BrT e Telesc, entre outras.
Formado em Engenharia, mestre em Gestão de Negócios pela UCES (Argentina), com MBA pela FGV e doutorado pela UFSC na Engenharia de Produção, Santos sabe do que está falando.

“Renovamos, inovamos, e nossa oferta mira cada vez mais soluções do que apenas equipamentos. Hoje, focamos também serviços, com projetos de acordo com a necessidade do cliente, treinamentos, consultoria e operação assistida, entre outros”, comenta o CEO.

Com isso, a expectativa da empresa é aumentar dos atuais cerca de 5% para 40% a participação dos serviços e consultorias sob medida em seu faturamento.

Além do aporte do Criatec e da contratação de Santos, a trajetória de reformulação da Cianet também passou pela criação, em 2011, da diretoria Industrial e reorganização de executivos da empresa nas lideranças de P&D, Comercial e Administrativa-Financeira.

A diretoria Industrial ficou a cargo de José Renato Fedalto, que por anos foi gerente de O&M da BrT, e é o departamento responsável pela fábrica de switches HPN e GEPON para banda larga e conversores de mídia que a companhia mantém em Palhoça, onde ficam 30 de seus cerca de 70 colaboradores diretos.

Já Irineu Theiss, ex diretor de Gestão de Recursos do Instituto de Previdencia de Santa Catarina e diretor Administrativo-Financeiro do Comcap - Melhoramentos da Capital, assumiu a diretoria Administrativa da Cianet.

Já para a diretoria Comercial, a escalada foi Silvia Folster, que está na empresa desde 2008 e, antes disso, soma no currículo passagem como gerente de Negócios pela AltoQi Tecnologia em Informática.

O sócio-fundador Ricardo May manteve-se na diretoria de P&D.

Movimentos que, segundo Santos, têm mostrado resultados promissores.

“Por conta da participação do Criatec, temos auditorias mensais, pelo próprio fundo, e anuais, pela Ernst&Young. Temos uma série de metas a cumprir, e temos sido bem sucedidos. Só no primeiro quadrimestre deste ano, por exemplo, crescemos 321% em relação ao mesmo período de 2011”, comemora o CEO.