Ballmer oferece US$ 2 bi pelos Clippers. Foto: divulgação.

Steve Ballmer, ex-CEO da Microsoft, é mais novo proprietário de uma franquia da NBA. O bilionário chegou a um acordo com os Los Angeles Clippers para a aquisição do time de basquete pela quantia de US$ 2 bilhões.

Segundo informações do Wall Street Journal, o acordo foi fechado por Ballman e a Shelly Sterling, esposa do ex-presidente do clube, Donald Sterling, banido da liga devido a um escândalo envolvendo declarações racistas.

Shelly Sterling é dona de metade do clube de basquete ao lado do marido, que por sua vez é reconhecido pela NBA como signatário principal da franquia, o que exige que a venda passe por ele.

Antes do anúncio da venda, os advogados de Donald Sterling afirmaram que o presidente do clube não tinha a intenção de vender a franquia. No entan

Ao comentar a oferta, Ballmer destacou que será uma honra ter o seu nome submetido ao conselho de diretores da NBA.

Fã ávido de basquete, essa não é a primeira vez que o ex-CEO tenta comprar uma franquia da liga. No ano passado, o nome de Ballmer esteve ligado a uma possível compra do Sacramento Kings, mas o negócio não seguiu adiante.

A oferta de Ballmer bateu outros concorrentes, como o magnata do ramo musical David Geffen (US$ 1,6 bilhões). No entanto, o lance dado pelo executivo é bem acima da média de outras franquias: por exemplo, recentemente o Milwaukee Bucks foi comprado por US$ 550 milhões.

Caso a compra realmente seja fechada, resta saber se Ballmer, que é dono de uma fortuna de cerca de US$ 13 bilhões, vai cumprir seu plano de levar uma nova franquia de basquete para Seattle, sua cidade de coração e perto de Redmond, onde fica o quartel-general da Microsoft.

Seattle está sem clube de basquete desde 2008, quando a franquia se mudou para Oklahoma, onde virou Oklahoma City Thunder. No entanto, dias antes do anúncio da compra, ele descartou uma possível mudança.

"Mudar o tima para qualquer outro lugar seria destrutivo ao valor da franquia", destacou.