Paulo Palaia, diretor de TI da GOL e da GOLlabs. Foto: Divulgação.

A Gol começou a oferecer o serviço de embarque por biometria facial no país, inicialmente como um piloto em um portão no aeroporto Galeão, no Rio de Janeiro.

A empresa é a primeira aérea brasileira a fazer o check in por reconhecimento facial. A tecnologia usada é a da startup paulista FullFace Biometric Solutions.

O projeto foi desenvolvido por especialistas do GOLlabs, laboratório de inovação da companhia.

Com o novo serviço, não será necessário ter em mãos o cartão de embarque em papel ou smartphone para acessar a aeronave. 

O cliente precisará, apenas, posicionar-se em frente ao totem de reconhecimento facial, localizado ao lado do portão de embarque e, com uma foto, será feita a verificação de segurança com os dados da viagem e liberada a entrada no avião.

Para garantir o reconhecimento biométrico individual é necessário, antes da viagem, a realização de um cadastro prévio pelo aplicativo.

O reconhecimento facial é um desdobramento do Selfie Check-in, que registrou mais de um milhão de check-ins em um ano.

"Esse novo serviço vai automatizar o processo de embarque, garantindo agilidade e aprimorando a experiência dos Clientes que viajam com a GOL. Ficamos orgulhosos em ser pioneiros na criação desse serviço no Brasil", diz Paulo Palaia, diretor de TI da GOL e da GOLlabs.

O GOLlabs foi criado no ano passado é a "startup interna" da Gol. A ideia é desenvolver projetos de maneira ágil dentro do GOLlabs, para que, uma vez validados, eles passem para o suporte da TI da companhia.

A nova empresa está instalada em um prédio separado na sede da GOL, localizada dentro do aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

A FullFace Biometric Solutions é uma startup quente no mercado de biometria facial brasileiro, que está em alta, com diversos projetos entrando em funcionamento. Um setor que está aderindo em peso é o de bancos e fintechs, como uma forma de aumentar a segurança e digitalizar a operação.

No ano passado, a companhia recebeu um investimento do Fundo Primatec, que aplicou R$ 5 milhões na empresa. Em 2016, ela entrou na lista das cinco Cool Vendors do Gartner, que aponta startups promissoras.

A FullFace integra a Incubadora de Empresas de Base Tecnológica USP/Ipen - Cietec. Em seu site, a empresa lista alguns clientes de peso como C6Bank, Vivo, Sem Parar, Accenture.