Vista área da sede do Grupo Herval em Dois Irmãos.

O Grupo Herval comunicou nesta sexta-feira, 27, a troca da sua razão social, a movimentação mais perceptível de uma série de mudanças na empresa.

A razão social passou de "Madeireira Herval Ltda" para "Global Distribuição de Bens de Consumo Ltda".

“Somos a mesma empresa, mesmos sócios, mesmo CNPJ, mesma inscrição estadual, com a mesma história de 50 anos. Só alteramos o nome da razão social para evitar a identificação equivocada dos nossos negócios”, explica a companhia em nota.

Apesar de ser uma das marcas mais conhecidas do Rio Grande do Sul, a razão social da Herval causava incovenientes fora do estado. 

Uma matéria do Estado de São Paulo de abril do ano passado relatou o caso de um executivo paulista que comprou um computador de R$ 7 mil da iPlace, revenda Apple da Herval, e cancelou a compra ao receber a fatura a nome de uma madeireira.

A estratégia de diversificação da identidade da empresa data de 2010, quando as então Lojas Herval começaram a operar com a marca TaQi. A estimativa é que o negócio de varejo, encabeçado pelas lojas, gere 65% da receita do grupo.

O fato não foi comentado na nota, mas a reportagem do Baguete apurou que o grupo Herval fez também algumas reestruturações no seu organograma. 

O presidente Agnelo Seger, filho de um dos fundadores da empresa, assumiu o cargo de CEO, com dois vice presidentes. 

Um deles é Germano Grings, profissional com 40 anos de casa que estava à frente das áreas de varejo e tecnologia e outro é Andrei Seger, filho de Angelo que vinha atuando no financeiro da empresa.

Na área de TI, o gerente James Rocha foi promovido para o cargo de diretor.

As mudanças de razão social e organograma acontecem em paralelo com um grande projeto de implementação de um sistema de gestão da SAP, buscando melhorar a gestão do grupo, composto de 11 empresas e 20 linhas de negócios e dono de um faturamento de R$ 2 bilhões. 

O projeto começou em janeiro e está sendo feito por um consórcio de empresas formado pelo Grupo Meta, ITS Group e Formers. 

O Grupo Meta, com 1,5 mil funcionários, atua com desenvolvimento em tecnologias da SAP e acaba de abrir um centro especializado em Santa Maria, no Rio Grande do Sul. O ITS já entregou projetos SAP em empresas como Bettanin, Artecola e Marcopolo.

A paulista Formers é uma parceira SAP fundada há três anos que tem se destacado por sua especialização em projetos para varejo, entre eles a Chillibeans. Juntamente com a ITS participa do Laboratório de Co-inovação da SAP Brasil.

Também participa do projeto a First Decision, consultoria especializada no trabalho de mapeamento, saneamento e migração de dados dos vários sistemas legados existentes atualmente.

As empresas formam uma equipe única que trabalhará em conjunto com aproximadamente 70 profissionais do Grupo Herval, todos liderados pela IT e board  da empresa gaúcha. 

O roadmap é implementar o sistema nas 11 empresas e 20 linhas de negócios do Grupo Herval de forma escalonada até 2016, segmentando o projeto em três ondas: em 2014 processos administrativos e de recursos humanos, em 2015 os processos das indústrias e por último as empresas e processos de varejo.