Alexandre Siffert, presidente da Ativas. Foto: divulgação.

A Ativas, empresa de TI dos grupos Asamar e Cemig, acaba de se tornar o primeiro provedor de serviços da América Latina a oferecer banco de dados Oracle na nuvem com a plataforma Sparc SuperCluster T4-4 HC Half Rack.

Com infraestrutura de data center Tier III certificada pelo Uptime Institute e TÜV Rheinland, a Ativas adotou a plataforma para garantir um ambiente escalável e altamente disponível, explica Antônio Phelipe, CTO da companhia.

“Com esta adoção, pretendemos nos transformar em referência em migrações e atualizações para a plataforma da Oracle, para que os clientes fiquem em conformidade e com ambiente 100% licenciado”, destaca o executivo.

O Sparc SuperCluster T4-4 é um pacote de servidores, soluções de armazenamento e de software, que permite a integração de tecnologias.

Com a adoção, a Ativas tem a Oracle como um único ponto  de contato, garantindo SLA fim-a-fim da solução para os clientes, e também pode usar o Oracle Exadata Storage Servers e Exalogic Elastic Cloud para acelerar aplicações e banco de dados.

O sistema especialista para execução de aplicações específicas, com suporte para o cliente final, também está no pacote.

Phelipe explica que, durante a implementação da infraestrutura do banco de dados, foi realizada uma integração nativa com a plataforma de monitoramento Ativas One Touch.

Isso, segundo ele, assegura a visibilidade e o SLA contratado pelos clientes.

O Sparc SuperCluster T4-4 possiblita, ainda, consolidar sistemas transacionais OLTP para aplicativos (ERPs, CRMs, Portais, entre outros) e data warehouse com banco de dados da Oracle, na mesma plataforma.

“O pacote também incorpora softwares de gerenciamento integrados, facilitando a atuação da Ativas na gestão de serviços e monitoramento/ provisionamento de ambientes Oracle, pois a gestão é realizada por nosso administrador de banco de dados”, explica  Edilson Fuzetti, vice-presidente de Vendas de Sistemas da Oracle do Brasil.

Com sede em Belo Horizonte, onde mantém seu data center Tier III, a Ativas também tem escritórios em São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná.

A empresa não revela o faturamento de 2011, mas no início daquele ano a companhia havia divulgado projeção de chegar aos R$ 40 milhões, o que deve ser ainda mais expandido este ano, quando a meta é crescer mais de 200%.

“Por ser uma empresa jovem, estimamos crescimento acentuado nos primeiros anos. Nosso faturamento triplicou de 2010 para 2011", contou o presidente da empresa, Alexandre Siffert, quando anunciou planos de investimento na casa dos R$ 30 milhões em uma estratégia de expansão, no começo deste ano.

Conforme o executivo, a meta, a partir do ano que vem, é manter uma expansão média de 50% ao ano até 2016.

Para dar base aos planos, os R$ 30 milhões serão destinados a ampliar a atuação da companhia no centro-sul do país, onde a mira é São Paulo, que concentra um terço do mercado de serviços de TI do Brasil, segundo Siffert.

Outra meta da Ativas para este ano é dobrar o quadro de funcionários, chegando a 400, que ficarão distribuídos por todas as bases.

Para crescer, o foco também está em novos clientes de médio e grande porte, de segmentos diversos, como saúde, energia, mineração e financeiro.

Hoje, a Ativas já atende a nomes como Light, Unimed Riom Uniodonto, Banco BMG e Unimed-BH, entre outros.